Imprevistos acontecem, mas quem tem uma reserva de emergência consegue enfrentá-los com mais tranquilidade, não é mesmo? Como o próprio nome já diz, trata-se de uma quantia em dinheiro que pode ser utilizada naqueles momentos de aperto das finanças.

O conceito é amplamente conhecido e fácil de entender, mas a realização dele na prática é mais difícil.

Para te ajudar a montar sua própria reserva de emergência, nós separamos as principais informações sobre esse assunto e elaboramos um passo a passo bem fácil de cumprir. Confira abaixo!

O que é uma reserva de emergência?

Ter uma reserva de emergência é um dos passos mais importantes na vida financeira de uma pessoa. Trata-se de uma quantia que deve ser mantida para cobrir despesas imprevistas que demandam gastos maiores que os habituais.

Digamos que a geladeira de sua casa parou de funcionar e não tem mais conserto. Por isso, é fundamental ter uma quantia guardada para fins como este. Essa quantia, então, é chamada de reserva de emergência.

Por que ter uma reserva de emergência?

A reserva de emergência contribui para sua tranqu14ilidade mesmo em momentos de dificuldade financeira

No contexto de nossa sociedade atual, a maioria da população não recebe educação financeira e isso reflete na taxa de endividamento. De acordo com dados da Agência Brasil, quase 60% das famílias possuíam dívidas (em atraso ou não) em dezembro de 2018.

As dívidas que estão atrasadas são causadas, em sua maioria, pelo mal uso do cartão de crédito. 78,1% das famílias que têm contas a pagar estão endividadas com ele. O crédito, então, é um empréstimo pré-aprovado e não pode ser utilizado como reserva de emergência.

 Infelizmente, a falta de conhecimento leva as pessoas a negligenciar essa reserva de emergência, o que faz com que a maioria delas não se prepare para crises ou imprevistos comuns do dia a dia.

É comum que as pessoas não projetem uma situação negativa para o futuro e esse erro pode ser cometido por qualquer pessoa. Por isso, não se preocupe! Nunca é tarde para começar sua própria reserva.

Como montar minha reserva de emergência?

Listamos 5 passos para que você monte sua reserva e, dessa forma, não seja surpreendido financeiramente. Acompanhe os passos!

1-  Registre e controle receitas e despesas

Tenha um controle detalhado de todas as despesas e receitas da família. Utilize um caderno financeiro, planilha, aplicativo ou programa para computador. Separe, então, um tempo para organizar seu fluxo financeiro.

2-  Separe o essencial do supérfluo

Água, energia, gás, alimentação e outros gastos são essenciais. No entanto, ao ter anotado as despesas e receitas, será possível analisar aqueles gastos considerados supérfluos.

3-  Defina o valor que será poupado mensalmente

A partir do controle financeiro, você deverá separar um valor que precisa ser poupado todo mês. Por isso, defina um valor fixo.

4-  Escolha um investimento para sua reserva de emergência

Dinheiro parado não rende e a poupança não é o melhor lugar para sua reserva de emergência. Então, para que esse valor possa render, escolha investimentos que permitam o resgate antecipado. Existem algumas opções no investimento em Renda Fixa, por exemplo.

5-  Avalie a situação de sua reserva

É importante fazer uma avaliação financeira a cada seis meses para saber se o valor investido na reserva de emergência é suficiente ou não.

Pode ser que a situação da família tenha melhorado e que mais dinheiro possa ser poupado por conta disso. Mas lembre-se, se divertir também é importante! Poupe, mas também divirta-se.

Qual valor mínimo para reserva de emergência?

O valor mínimo para uma reserva de emergência deve ser proporcional ao custo de vida e o cálculo é bem simples.

Se você recebe R$ 3.000,00 mensalmente e vive com R$ 1.500,00, significa que esse é o mínimo que você pode ter em sua reserva de emergência para enfrentar mais um mês com tranquilidade.

No entanto, devemos pensar a médio e longo prazo. Para cada realidade, o cenário é diferente: um assalariado, por exemplo, deve pensar em sua reserva de emergência para 6 meses, servidores públicos concursados para 3 meses, autônomos sem renda fixa para até 12 meses.

Mas não se desespere! Essa é a sua oportunidade de começar uma reserva de emergência e ficar mais tranquilo durante o ano. Basta juntar uma parte desse dinheiro todo mês e investi-lo para que possa render mais.

Para ajudá-lo nessa tarefa de reservas e investimentos, separamos este artigo que apresenta algumas modalidades de investimento que podem receber aportes mensais. Aproveite para acessar nosso site e conferir mais informações sobre o mundo dos investimentos!