Tesouro direto ou poupança? A escolha entre os dois é uma dúvida comum de quem deseja fazer o próprio dinheiro render. São duas possibilidades interessantes, mas o tempo da poupança passou.

Antigamente, a poupança era uma opção rentável e fazia muita gente ganhar dinheiro. O fato é que isso não acontece mais na atualidade — mas não significa que acabaram as suas chances de obter altas rentabilidades com segurança.

O Tesouro Direto, é uma opção prática, segura e mais rentável que a poupança.

Veja como o Tesouro Direto ou a poupança funcionam e escolha a alternativa ideal para você.

Tesouro Direto ou Poupança: qual escolher?

Aplicação mínima

Qualquer quantia pode ser aplicada na poupança. Já no Tesouro Direto, precisa ser de, no mínimo, R$ 30,00 — o equivalente a 1% de um título.

Liquidez

Trata-se da possibilidade de resgatar o valor a qualquer momento. No caso da poupança, não há restrições. No entanto, a rentabilidade só ocorre quando a quantia depositada completa um mês.

O Tesouro Direto tem a modalidade Tesouro Selic em que não há perdas no rendimento. Nas demais modalidades, você pode obter perdas ou ganhos em relação ao rendimento.

Custos

Não há incidência de Imposto de Renda, Imposto sobre Operações Financeiras e outras taxas na poupança.

O Tesouro Direto até tem taxas, mas mesmo com elas o rendimento é superior ao da conta poupança. No entanto, incidência de Imposto de Renda é regressiva — vai de 22,5% (até 180 dias) à 15% (mais que 720 dias). E em resgates até 30 dias, ocorre a incidência de IOF.

Tesouro direto ou poupança: ganho

Pense nos seus objetivos para conseguir escolher entre os diferentes títulos de Tesouro Direto.

Os ganhos na poupança são mínimos e você fica limitados a eles. Em compensação, o Tesouro Direto — mesmo com suas taxas — consegue ser mais vantajoso e apresentar títulos que rendem mais que a poupança.

Pode ser que você queira rendimentos ainda maiores e, por isso, fica a dica: descubra seu perfil de investidor. A partir dessa informação, é possível direcionar seu dinheiro para aplicações ainda mais vantajosas e que se adaptam melhor aos seus objetivos.

Poupança: como funciona?

A conta poupança, também chamada apenas de poupança, foi criada para facilitar o hábito de poupar dinheiro. Diferentemente do que acontece com a conta corrente, ela não foi feita para movimentar a quantia poupada.

Por esse motivo, a poupança costuma ser limitada mensalmente à:

  • 2 saques;
  • 2 transferências;
  • 2 extratos.

O diferencial da poupança é que a quantia armazenada nela rende toda vez que completa o aniversário da conta. O primeiro depósito feito já caracteriza a data de aniversário e a taxa desse rendimento é estabelecido pela governo.

Não há diferença entre a taxa de rendimento da poupança de um banco para outro — independentemente de ele ser público ou privado. Os juros da poupança são de 0,5% mais um valor definido pelo governo, chamado de Taxa Referencial (TR). No entanto, essa taxa é tão pequena que não muda o rendimento da poupança.

O fato é que, para fazer seu dinheiro aumentar bastante na poupança, tudo dependerá da quantia depositada e do tempo que ela permanecerá lá.

Antigamente, a poupança era a primeira opção das pessoas para fazer com que o dinheiro rendesse. No entanto, com o passar dos anos, esse rendimento ficou cada vez menor até chegar aos patamares atuais.

A conta poupança é segura e somente uma vez em nossa história houve o confisco dos valores que nela estavam guardados.

Tesouro Direto: como funciona?

Vivemos em uma nova era e o verbo poupar se transformou em investir, por isso é tão difícil escolher entre Tesouro Direto ou poupança. O mundo dos investimentos abriu suas portas para que pessoas comuns pudessem aplicar diferentes quantias e, em troca, obter rendimentos baixos, médios e altos.

Se você deseja investir seu dinheiro em uma aplicação de baixo risco, precisa conhecer o Tesouro Direto — que é a forma mais simples, prática e segura de obter rendimentos a partir de títulos públicos.

Tesouro Direto foi lançado em 2002, mas somente nos últimos anos se tornou conhecido entre a maioria dos brasileiros. Trata-se de um programa onde você empresta seu dinheiro para o governo e obtém, em troca, um rendimento maior que o da poupança.

O dinheiro aplicado no Tesouro Direto serve para o governo captar recursos para o financiamento da dívida pública e de outras atividades que realiza em áreas como saúde, educação e infraestrutura.

Para investir no Tesouro Direto, você precisa abrir uma conta em um banco ou corretora como a Easynvest. Uma das vantagens desse investimento é o valor inicial: a partir de R$ 30,00.

Outras vantagens do Tesouro Direto:

  • rentabilidade maior que a poupança;
  • taxa de administração baixa;
  • possibilidade de obter diferentes rendimentos;
  • comodidade, segurança e tranquilidade;
  • liquidez garantida pelo Tesouro Nacional.

Sobre a rentabilidade do Tesouro Direto, é possível escolher entre dois tipos de títulos.

Títulos prefixados

A rentabilidade é definida no momento da compra. Em outras palavras, você sabe exatamente o valor que receberá se permanecer com o título até seu vencimento — sem efetuar resgate antecipado.

Os títulos prefixados são indicados para os investidores mais conservadores e permitem a comparação com o rendimento da poupança.

Títulos pós-fixados

Já os títulos pós-fixados têm seus valores corrigidos por um indexador, ou seja, a rentabilidade será estabelecida a partir do desempenho dele e da taxa contratada no momento da compra. É o caso do Tesouro IPCA, Tesouro IPCA com juros semestrais e Tesouro Selic.

Para ver quanto seu dinheiro pode render no Tesouro Direto, você pode simular aqui. Além disso, a Easynvest te oferece os melhores serviços sobre investimento e aplicações. Confira nosso site!