Se você já procurou informações para investir o seu dinheiro, deve ter se deparado com três siglas bem conhecidas no mercado. Estamos falando de Selic, CDI e IPCA. Mas você realmente sabe o que elas significam? E, além disso, sabe como elas interferem na economia e no nosso dia a dia?

Neste post, vamos explicar o que são e como funcionam os indicadores Selic, CDI e IPCA. Então, continue a leitura e aproveite!

  • O que é Selic, CDI e IPCA?
  • O que é Selic
  • E o que é CDI?
  • Quais as diferenças entre Selic e CDI?
  • O que é IPCA?
  • Como investir usando Selic, CDI e IPCA?

O que é Selic, CDI e IPCA?

Taxas de referências atreladas às taxas Selic, CDI e até mesmo ao IPCA são muito comuns em investimentos de Renda Fixa. Por exemplo, existem CDBs que pagam 94%, 105% ou 115% do CDI.

Ou ainda o Tesouro Direto Selic. Nesse caso, a remuneração acompanha a taxa Selic. Por fim, existem também títulos que pagam um valor fixo mais a variação do IPCA. Eles são chamados de Tesouro IPCA+.

Como esses são indicadores importantes para a economia e o mercado financeiro, é comum vermos notícias na mídia quando a Selic sobe ou diminui. 

Para você ter uma dimensão da importância dessas siglas, a remuneração de empréstimos entre bancos no curtíssimo prazo, geralmente durante um dia, é baseada na Selic e no CDI.

O objetivo é complementar o caixa para encerrar o dia com o valor mínimo definido pelo Banco Central.

Vamos entender o que é e como funciona cada um deles.

O que é Selic

Selic é a taxa básica de juros da economia brasileira. Ou seja, é a sigla para Sistema Especial de Liquidação e Custódia. Em resumo, a Selic funciona no mercado como taxa “mãe” e serve de parâmetro para todas as outras. O Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central) define o valor da Selic em reuniões a cada 45 dias. 

Além disso, é um dos instrumentos que a instituição usa para conter o avanço da inflação. Isso acontece porque, com a inflação mais alta, as pessoas compram menos. Então, quando aumenta a Selic, o governo força uma queda nos preços, estimulando o consumo. Com isso, a inflação tende a diminuir.

Para descobrir a Selic do momento, basta observar a tabela de taxa de juros do site do Banco Central. Outra informação importante que você confere lá é a inflação, uma taxa importante para a Selic.

A taxa Selic também é usada em empréstimos feitos entre bancos no curtíssimo prazo com garantia de títulos do Tesouro Nacional. Essas operações bancárias têm um alto volume e são realizadas diariamente.

Para ter um controle em cima disso, o Banco Central obriga as instituições financeiras a fecharem o dia com seus respectivos caixas equilibrados. O objetivo é evitar excesso de dinheiro em circulação, permitindo o controle da inflação.

Para que os bancos se ajustem a essa obrigação, eles pegam dinheiro emprestado entre si e usam uma taxa de juros ajustada diariamente. Ela é chamada de Selic overnight. Ou apenas Selic over.

E o que é CDI?

Já o CDI significa Certificado de Depósito Interbancário. É uma taxa parecida com a Selic Over, e serve para balizar os juros praticados quando os bancos emprestam dinheiro entre si. Ou seja, para outros bancos. Mas, aqui, os empréstimos terão recursos próprios como garantia, e não mais títulos públicos. 

Em outras palavras, as operações entre os bancos são feitas baseadas na Taxa Selic e recebidas na taxa CDI. Eles devem ter valores muito próximos, evitando lucros ou prejuízos nessas operações entre as instituições.

Quais as diferenças entre Selic e CDI?

Selic e IPCA têm valores bem parecidos. Mas elas são duas taxas diferentes. Quando a Selic sobe, o CDI acompanha o movimento e assim por diante. 

Mas, quando olhamos para o histórico, a taxa CDI costuma ficar um pouco abaixo da taxa Selic. No gráfico abaixo, é possível ver a oscilação da Selic nos últimos anos. em 2016, a taxa de 14,25% gerava bons retornos para ativos de Renda fixa. Na sequência, é possível ver a queda.

Selic, CDI e IPCA

O que é IPCA?

Outro indicador importante para a economia e os investimentos é o IPCA. Essa sigla significa Índice de Preços ao Consumidor Amplo. Esse é o principal indicador da inflação em nosso país. 

Ou seja, é uma referência utilizada pelo governo para definir a meta de inflação. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) faz o cálculo mensamente. É possível saber quanto aumentou ou diminuiu o preço de diversos produtos consumidos no Brasil usando o IPCA. 

Indiretamente, o IPCA afeta seu poder de compra. No entanto, um investidor consciente e que busca o conhecimento necessário, consegue utilizar esse indicador em benefício próprio. Afinal, o governo aplica essa variação em alguns investimentos do Tesouro Direto. Também é possível ver o IPCA como referência para por exemplo LCIs e LCAs, bem como Fundos de Investimento.

Desse modo, os títulos do Tesouro Direto e outros ativos acabam protegidos de altas na inflação. Mas não é apenas o governo que utiliza o IPCA. Até contratos de aluguel podem reajustar mensalidades com base nele, bem como os preços de produtos no comércio. Viu como é importante saber o que é IPCA?

Como investir usando Selic, CDI e IPCA?

Se você está no blog da Easynvest lendo sobre a taxa Selic, você provavelmente quer saber da influência dela da rentabilidade dos investimentos. Certo?

Ela é importante porque existem investimentos que têm seus rendimentos atrelados à Selic. Na prática, isso pode torná-los mais atraentes ou não.

Os títulos do Tesouro Selic, por exemplo, rendem exatamente a Taxa Selic. Ou seja, se ela aumentar, sua rentabilidade também aumenta, e se ela baixar, sua rentabilidade diminui!

Em contrapartida, outros investimentos tem a rentabilidade atrelada ao CDI, que como acabamos de ver, refletem os valores da Taxa Selic. Por exemplo CDBs, LCIs e LCAs e Letras de Câmbio.

Mas, para quem vai aplicar em Renda Fixa, uma dica importante é escolher investimentos que tenham taxa igual ou superior ao CDI. Portanto vale lembrar que, em períodos de queda da Selic, é aconselhável escolher aplicações prefixadas. 

As aplicações pós-fixadas são mais adequadas para quando a Selic está em alta. O motivo é que elas acompanham a taxa ao longo do investimento. Mas é importante lembrar que a Selic é usada para o controle da inflação. Assim, a tendência é que o IPCA caia sempre que a taxa básica de juros subir.

Para conhecer opções de investimentos atrelados à Selic, CDI e IPCA, é só clicar aqui.

Veja também:
• O que é, quem pode ser e como se tornar um Investidor qualificado?
Renda Passiva: o que é e dicas para ganhar dinheiro investindo.
Melhores investimentos: onde investir no segundo semestre de 2021?
•  Saiba o que é e como funciona o Open Banking.
Como investir em ações: guia para começar a investir na bolsa.
Minerar bitcoin ainda vale a pena? Entenda em 5 pontos!