Quem disse que o mercado financeiro “não é coisa de mulher”?

Desde 2017, a Easynvest se preocupa em transformar estruturas. Juntas, criamos o movimento “Nós, mulheres investidoras” com objetivo de levar novas oportunidades para mais mulheres por meio da educação. Afinal, até quando falar abertamente sobre dinheiro será um tabu?

Em março de 2019, lançamos uma pesquisa sobre hábitos de consumo com 2.097 clientes, provocando questionamentos e querendo respostas para entender em que estágio da independência financeira elas estavam. Dá uma olhada nos resultados e na quantidade de estereótipos que conseguimos quebrar de uma vez só:

Mulheres não tem controle sobre dinheiro?

Em nossa pesquisa, 75% das mulheres afirmaram fazer algum controle de gastos excessivos. E quase 50% usam planilhas e apps para facilitar esse controle. Além disso, mais de 33% guardam mais de 20% do salário todos os meses (isso é muita coisa!) e 30% guardam entre 10 e 20%. Pois é! Esses dados você mostra pra aqueles que insistem em dizer que mulheres gastam descontroladamente, combinado?

Mulheres não planejam o futuro?

Planejamos sim! Garantir o futuro é um dos motivos que leva mais de 82% das mulheres que nos responderam a investir. Descobrimos também que quase 80% das clientes planeja os gastos do próximo mês com antecedência. Do total, 91,8% já investe!

Além disso, formar uma reserva de emergência (78%), ter tranquilidade e qualidade de vida (73,4%), viajar (67,2%) e comprar a casa própria (26,9%) são os principais motivos pelas quais as mulheres investem. E é aqui que o “Nós, mulheres investidoras” entra nessa história, já que 36% ainda estão inseguras quanto as suas escolhas de investimento. A gente sabe que com uma educação financeira sem economês (o nosso lema) e mais próxima, esse número pode diminuir muito. Vamos fechar um acordo aqui? O movimento continuará com força total esse ano, quebrando barreiras e ouvindo vocês.

Mulheres são compulsivas?

Nesta pesquisa, queríamos saber se esse tipo de relação de consumo ainda existe, e por esse motivo, um produto de consumo extensivamente oferecido para as mulheres foi usado como objeto: os sapatos. E antes de ir aos resultados, fica aqui nossa empatia a todas as clientes que se prontificaram em dizer que isso era coisa do passado! Assim, vamos aos dados coletados:

Mais de 70% das mulheres afirmou nunca ter feito uma loucura para comprar sapatos, e mais de 94% delas disse estar muito propensa a diminuir hábitos de consumo para investir mais.

Ah, quer saber mais? As mulheres estão dando aula no quesito reserva de emergência: 56% delas podem se manter por mais de 6 meses com os investimentos que já possuem.  O quanto isso é positivo! É esse tipo de reserva que pode ajudar mulheres a saírem de um emprego infeliz ou um relacionamento abusivo com segurança financeira.

Mulheres não sabem investir?

Elas estão vindo com tudo nesse mundo que um dia, foi dominado por homens. Quase 50% das mulheres questionadas na pesquisa já se consideram uma “mestra dos investimentos”. Mas e a outra metade? Vamos conversar?

A plena independência financeira pode ser difícil de ser alcançada sem aliados para te incentivar e te ajudar no caminho. É por isso que o Nós, mulheres investidoras existe. Estamos aqui para construir uma comunidade de mulheres dispostas a se ajudarem. Chega de ficar por fora do que acontece no mundo financeiro e não se sentir livre para cuidar das próprias finanças. Estamos aqui para abrir as portas e te mostrar: dinheiro é liberdade. Educação financeira é liberdade.

Vamos juntas?

 

 

Dados colhidos na pesquisa:

Easynvest: Investimentos e hábitos de consumo, março de 2019 (coleta feita com 2.097 mulheres entre 18 a 65 anos, residentes em todo o Brasil e que possuem conta ativa na corretora).