Você já conhece as Letras Financeiras?

Se você tem um bom dinheiro guardado e deseja multiplicá-lo de verdade, fazendo render mais que a média de aplicações de renda fixa como CDB, LCI e LCA, é preciso conhecer essa modalidade de investimento.

As Letras Financeiras são um tipo de aplicação muito interessante, principalmente para quem busca, no longo prazo, boa rentabilidade. E elas funcionam como os outros títulos de renda fixa, nos quais você empresta dinheiro ao banco e ele devolve a quantia aplicada com acréscimo remunerado.

Ficou curioso para saber como funciona essa aplicação? Continue a leitura e descubra se esse é um bom investimento!

O que são Letras Financeiras?

As Letras Financeiras são uma modalidade de investimento de renda fixa, ou seja, cujas regras de remuneração são definidas no momento da aplicação do título. Em outras palavras, ao optar por essa aplicação, você é informado antecipadamente sobre quanto o dinheiro renderá.

Só que tem uma coisa que difere bastante as Letras Financeiras dos outros investimentos de renda fixa, que é o prazo de aplicação. No caso, a rentabilidade delas é de longo prazo.

O prazo de rentabilidade das Letras Financeiras costuma ser de, no mínimo, dois anos. E o valor inicial para aplicar nelas é de R$ 150 mil, ou seja, você precisa fazer um bom planejamento financeiro para não sofrer com a impossibilidade de sacar os rendimentos antes do tempo.

Para quem as Letras Financeiras são indicadas?

As características das Letras Financeiras já dão o caminho para que você entenda o perfil ideal para aplicar nelas: o poupador. Para quem tem uma boa quantia na poupança, essa é uma opção muito segura e rentável.

Mas você lembra que é preciso fazer um planejamento financeiro, certo?

Isso acontece porque os rendimentos das Letras Financeiras só podem ser sacados no vencimento. Se você não tem uma reserva de emergência ou planejou usar esse dinheiro antes do prazo, é melhor se organizar antes de investir tudo.

O ideal é que você separe uma parte do dinheiro para cobrir gastos imprevistos e emergenciais. Aliás, ele pode ser aplicado em outro título de renda fixa como Tesouro Selic, CDB, LCI e LCA. Além de guardar, essa quantia rende. Interessante, né?

Avalie também seus planos a curto e médio prazo. Se planejou uma viagem internacional com toda a família e pensou em usar parte do dinheiro, separe-o antes de investir. E garanta que terá estabilidade financeira por, no mínimo, dois anos — o tempo para sacar o rendimento.

Como funcionam as Letras Financeiras?

As Letras Financeiras têm características próprias e é interessante que você fique de olho nelas. Algumas Letras têm rendimento pós-fixado, atrelado ao CDI. Parece complicado? Nas próximas linhas você entenderá.

O CDI, ou Certificado de Depósito Interbancário, é uma taxa que varia todo dia útil. Para saber a taxa do dia, basta consultar o site da CETIP. É possível puxar um histórico e, desse modo, ver como seu dinheiro pode render durante o ano.

Outras Letras Financeiras são atreladas ao IPCA, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo. Uma vantagem delas é que isso ajuda a blindar seu investimento da temida inflação.

Você também pode encontrar rendimentos de Letra Financeira que são feitos de maneira prefixada, ou seja, têm taxa de juros especificada antes da aplicação.

Letras Financeiras são protegidas pelo FGC?

O FGC é o Fundo Garantidor de Crédito, aquele órgão não governamental que é mantido pelas instituições financeiras brasileiras. Trata-se de um fundo que garante o equilíbrio do sistema financeiro e auxilia empresas e investidores.

 As Letras Financeiras não são protegidas pelo FGC, mas dependendo do seu caso, ainda são uma boa opção de investimento.

Quando uma instituição financeira quebra, o Fundo Garantidor de Crédito presta socorro e devolve sua aplicação acrescida de rendimento. Isso é feito para valores de até R$ 250 mil por CPF. Contudo, essa garantia não se estende às Letras Financeiras.

Mas isso não significa que elas sejam uma opção ruim de investimento.

Todo cuidado é pouco em qualquer aplicação. Nas Letras Financeiras, você não deve se guiar apenas pelas rentabilidades altíssimas que são oferecidas e sim o histórico de crédito e solidez da instituição financeira por trás de cada aplicação.

O que considerar na hora de investir em Letras Financeiras?

Três pontos são muito importantes no momento em que você decide investir em Letras Financeiras: investimento, prazo mínimo e rentabilidade.

O investimento mínimo é aquele informado lá no começo deste artigo: R$ 150 mil. O valor não é baixo, mas se você tem a possibilidade de fazer com que renda, será melhor para o seu bolso.

O outro ponto é o prazo, que não é menor que dois anos. Lembre-se de que você precisa ter um planejamento financeiro para não depender desse dinheiro, afinal, seu resgate será possível somente no vencimento.

Considerando esses dois pontos, você deve ficar de olho para que a rentabilidade das Letras Financeiras seja superior a de outros investimentos, como o CDB. Se não for, não vale a pena, pois nele você tem prazos menores para sacar.

E o último ponto é justamente sobre a rentabilidade.

No site do Banco Central tem uma calculadora que serve para você simular o rendimento do seu dinheiro atrelado ao CDI. Basta escolher a aba CDI, digitar um período passado, a quantia desejada e a porcentagem da taxa — aquela do outro site.

Para resumir, as Letras Financeiras têm rentabilidade superior à média das demais aplicações de renda fixa, permite diversificar seus investimentos, é fácil de aplicar e ainda oferece projeção de retorno na hora de investir.

botão simule seus investimentos

A Easynvest tem uma calculadora para que você veja quanto seu dinheiro pode render em investimentos como Tesouro Prefixado, Tesouro Selic, CDB, LC e outros. Confira!