Para quem está começando no mundo dos investimentos, é muito importante conhecer quais são as principais aplicações e o quanto cada uma pode render. No entanto, nem todas as pessoas conhecem as tributações que incidem no rendimento, como é o caso do IOF.

Se você deseja saber quanto um investimento rende na prática, é preciso considerar mais que o seu rendimento bruto. As taxas e impostos que incidem sobre ele devem ser calculados e descontados do resultado final. Dessa maneira, você consegue ter a porcentagem exata de quanto o seu dinheiro pode render.

Continue a leitura e entenda porque e como o IOF afeta seus investimentos. Conheça também outras taxas e impostos que podem incidir sobre eles.

Imposto sobre Operações Financeiras (IOF)

Trata-se de um imposto que é cobrado nos saques feitos com menos de 30 dias de aplicação. Em determinados casos, o valor do IOF é fixo e, em outros, desconto é calculado a partir da rentabilidade obtida.

Dependendo da situação, pode ser que o IOF zere os ganhos sobre uma aplicação. Por isso, é importante ficar atento ao resgate. Para evitar o pagamento desse imposto, mantenha seu dinheiro aplicado por um prazo superior a 30 dias.

Aplicações como LCI, LCA, fundos imobiliários, alguns títulos privados e debêntures de infraestrutura são isentas do pagamento de IOF. No entanto, isso não significa, necessariamente, que elas são mais rentáveis.

Imposto de Renda (IR)

O Imposto de Renda é aplicado sobre os lucros que você obteve a partir de um investimento. Essa cobrança é feita em alíquotas, ou seja, um percentual que varia de acordo com o prazo da aplicação.

Observe como é feita a cobrança:

  • Até 180 dias: 22,5% de IR;
  • De 181 a 360 dias: 20% de IR;
  • De 361 a 720 dias: 17,5% de IR;
  • Acima de 721 dias: 15% de IR.

Outras tributações por tipo de investimento

Algumas tributações são feitas de acordo com o tipo de investimento. Isso significa que elas são comuns de modalidades específicas. Conheça as principais:

Ações

Investimentos mais complexos em relação à tributação, as ações estão sujeitas a três taxas: taxa de corretagem, de emolumentos e liquidação e de custódia. Sobre os tributos, eles podem ser aplicados nas operações normais (compra e venda que não acontecem no mesmo dia) e day trade (mesmo dia).

Diferentemente do que ocorre com outros investimentos, a alíquota do Imposto de Renda é recolhida mensalmente sobre as operações que são feitas — tanto as normais quanto as de day trade. O pagamento deve ser feito até o último dia útil do mês seguinte às operações.

ETFs

Fundos de ações negociados na bolsa de valores, os ETFs têm rentabilidade atrelada aos índices de ações. Ao investir em um ETF, você paga 15% de IR sobre os lucros quando for fazer a venda delas. Vale destacar que, nesse caso, as operações que são menores que R$ 20 mil são isentas de tributação.

Fundos de Investimento

Os fundos de investimento de renda fixa de curto prazo têm o valor das cotas reduzido semestralmente (entre os meses de maio e novembro), além de alíquota de 15% de Imposto de Renda. Com o passar do tempo, o efeito dos juros compostos vai ficando menor. Para aplicações de até 180 dias, a incidência de IR é de 22,5% e, acima disso, 20%.

Renda Fixa

O Tesouro Direto recebe a cobrança de duas taxas, a de custódia (que incide sobre o valor investido) e a taxa de administração, que pode ou não ser cobrada pela corretora. Como forma de incentivo, a Easynvest não cobra o valor da taxa.

Já a tributação do Tesouro Direto envolve a cobrança de Imposto de Renda, no mesmo esquema citado no início deste artigo. No entanto, o saque que ocorre em menos de trinta dias de aplicação, está sujeito a cobrança de IOF. Por fim, o CDB segue as mesmas regras do Tesouro Direto, com a exceção da taxa de custódia.

A importância de conhecer o IOF, outras taxas e tributações

Imagem mostrando pessoas investindo.

Entender como funciona o IOF e outras tributações sobre seus investimentos é fundamental para que você saiba seu ganho real nas aplicações.

Observe que cada investimento sofre uma incidência diferente de taxas e tributações, como o IOF e o Imposto de Renda. Conhecê-los permite calcular com exatidão o quanto cada investimento pode render — partindo de variáveis como o resgate antecipado ou feito antes de 30 dias de aplicação.

Essas informações são fundamentais para que o seu dinheiro possa render cada vez mais, além de possibilitar uma melhor organização financeira — maximizando suas chances de lucro ao evitar resgates que incidem a aplicação de IOF. Como a incidência de IOF é regressiva, dependendo do caso, ela pode zerar seus ganhos em cima de uma aplicação.

Quando o resgate é feito no primeiro dia de aplicação, a taxa de IOF pode chegar a 96% do rendimento. Caso você efetue esse resgate no 15º dia, a taxa será de 50% em cima do valor que rendeu. E se isso for feito no 29º dia, será de 3%. A partir do trigésimo dia, não há cobrança de IOF para resgate.

Agora que você sabe o que é IOF e como ele afeta os seus investimentos, aproveite para atualizar seus conhecimentos e aprender mais sobre as diferentes modalidades e como o seu dinheiro pode render. Nós separamos os principais artigos para que você possa enriquecer seus conhecimentos!