Ninguém gosta de pagar imposto, não é mesmo? No mercado financeiro, existem investimentos sem Imposto de Renda. Isso pode ser um ótimo benefício para o seu dinheiro, pois a isenção pode contribuir para rentabilidades maiores. 

Neste post, selecionamos investimentos sem Imposto de Renda para você considerar na hora de fazer uma aplicação. Boa leitura!

  • 1- LCI (Letra de Crédito Imobiliário)
  • 2-  LCA (Letra de Crédito do Agronegócio)
  • 3- CRI (Certificados de Recebíveis Imobiliários)
  • 4- CRA (Certificados de Recebíveis Agrícolas) 
  • 5 – Debêntures incentivadas também são investimentos sem Imposto de Renda
  • 6- Quer investimentos sem Imposto de Renda? Que tal dividendos?
  • 7- Algumas Ações são investimentos sem Imposto de Renda
  • Dica bônus para quem busca investimentos sem Imposto de Renda
  • Por que existem investimentos sem Imposto de Renda?
  • Investimentos sem Imposto de Renda: quando vale a pena?

1- LCI (Letra de Crédito Imobiliário) 

LCI é a sigla para Letra de Crédito Imobiliário. Elas são muito parecidas com o CDB. Ou seja, também são títulos de dívida emitidos por bancos.

O principal objetivo desse investimento é incentivar o mercado imobiliário. Por isso, o governo não cobra Imposto de Renda sobre o lucro das LCIs. E essa sem dúvida é uma das principais vantagens desses títulos de Renda Fixa. 

As LCIs têm basicamente três tipos de remuneração: pré-fixada, pós-fixada e híbrida. Mas vale lembrar que olhar somente a tributação não é uma boa forma de analisar investimentos. Isso porque muitas vezes os rendimentos dos investimentos que incidem IR são bem maiores que os não tributados. 

Assim, a melhor forma de entender qual o melhor investimento para você é fazendo simulações para entender qual título rende mais no vencimento.

Além disso, as LCIs são garantidas pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC). Essa é uma entidade mantida pelos próprios bancos e instituições financeiras. Na prática, ela existe para garantir a solidez do sistema financeiro. 

Então, em caso de quebra do banco emissor do título, o FGC reembolsa o prejuízo a quem investe até o limite de R$ 250 mil por instituições e por CPF. E desde dezembro de 2017, conforme a nova regra, existe um teto de R$ 1 milhão, a cada período de 4 anos, para garantias pagas para cada CPF ou CNPJ.

2-  LCA (Letra de Crédito do Agronegócio)

Esse é um investimento muito parecido com a LCI. Mas aqui os recursos captados serão utilizados para financiar o setor do agronegócio.

A LCA segue os mesmos modelos de remuneração e tem proteção do FGC. E além dos diferentes tipos de remuneração, existem LCIs e LCAs com vários prazos de resgate. Eles podem variar de 90 dias até cinco anos. Então fica ligado na hora de escolher.

3- CRI (Certificados de Recebíveis Imobiliários)

O CRI significa Certificado de Recebíveis Imobiliário. Ele é um investimentos de Renda Fixa usado como instrumento de captação de recursos para financiar as transações do mercado imobiliário

Em outras palavras, quando você investe em um CRIs, você está emprestando dinheiro para uma construtora. E você vai receber juros em troca. O rendimento, claro, é maior que o da Poupança. 

CRIs têm data de vencimento. Portanto são investimentos de médio e longo prazo. E olha só a vantagem: não têm Imposto de Renda sobre os lucros.

Mas atenção! Eles não são cobertos pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC). Então, o principal risco de investir nesse ativo é o risco de crédito.

4- CRA (Certificados de Recebíveis Agrícolas) 

Este também é um investimento de Renda Fixa. Em outras palavras, é um título de crédito privado. Mas no caso do CRA, o dinheiro captado vai para financiar transações do mercado agrícola.

O CRA é emitido por securitizadoras (organizações que convertem dívidas em títulos lastreáveis).

Tal qual os CRIs, ele também é mais arriscado, já que não possui a garantia do FGC. No entanto, tem isenção de Imposto de Renda para os lucros.

5- Debêntures incentivadas também são investimentos sem Imposto de Renda

Emitir Debêntures é uma forma que as empresas têm para captar dinheiro para desenvolver projetos e expandir atividades. Uma das maiores vantagens para a empresa é poder escolher como fará os pagamentos aos investidores. 

Em contrapartida, o investidor tem mais uma opção de investimento, com taxas bastante atrativas dentro da Renda Fixa.

Assim como os títulos públicos do Tesouro Direto, as Debêntures podem ser prefixadas, pós-fixadas ou híbridas. Mas a diferença entre Debêntures e investimentos do Tesouro é que o investidor empresta o dinheiro para uma empresa, em vez de emprestá-lo para o governo.

As Debêntures incentivadas são chamadas assim porque o dinheiro captado pelas empresas é destinado a obras de infraestrutura que beneficiarão a sociedade.

6- Quer investimentos sem Imposto de Renda? Que tal dividendos?

Dividendos são parte do lucro que as empresas da Bolsa distribuem aos seus acionistas. Aqui no Brasil, as companhias da Bolsa são obrigadas por lei a distribuir no mínimo 25% dos lucros aos acionistas na forma de dividendos. 

É como se o lucro de uma empresa da Bolsa fosse uma grande pizza. Por exemplo, um quarto dessa pizza precisa ser distribuído aos acionistas. 

Os dividendos são isentos de IR. Ou seja, você não precisa pagar imposto sobre eles. Mas é preciso declarar esse rendimento à Receita Federal.

7- Algumas Ações são investimentos sem Imposto de Renda

Você sabia que também existem algumas Ações que são isentas de IR? É isso mesmo! Em meados de 2014, o Governo Federal promoveu um “pacotão” de medidas pró-mercado financeiro. 

Entre as medidas, a Comissão de Valores Imobiliários (CVM) isentou algumas Ações do pagamento de Imposto de Renda, independente do lucro obtido com elas.

Mas não é pra sempre, hein? A isenção vale até 31 de dezembro de 2023. Além disso, é bom lembrar que a isenção de Imposto de Renda vale somente para negociações no mercado à vista, tanto para mercado comum quanto para Day Trade.

Confira a lista das empresas que foram beneficiadas:

Sinqia (SQIA3)

A Sinqia já tem mais de 20 anos de atuação em soluções de software para participantes do mercado financeiro brasileiro. Alguns podem não reconhecer a empresa, tendo em vista que se chamava Senior Solutions (SNSL3) até 2018.

General Shopping (GSHP3)

A General Shopping possui mais de 15 shoppings espalhados pelo Brasil, administrando e comercializando os empreendimentos. Também oferece serviços de administração de estacionamentos e gerenciamento de energia elétrica e água dos shoppings.

Brasil Agro (AGRO3)

A Brasil Agro atua na aquisição, desenvolvimento, exploração e comercialização de propriedades rurais. É uma das maiores companhias brasileiras em quantidade de terras voltadas à agropecuária.

PetroRio (PRIO3)

A PetroRio, outra a mudar de nome em 2018 (anteriormente se chamava HRT), foca na gestão e desenvolvimento de projetos para produção, exploração, comercialização e transporte de petróleo e gás natural.

CR2 (CRDE3)

A CR2 é uma incorporadora imobiliária fundada em 2006. Focando na aquisição, desenvolvimento e investimentos em imóveis, a empresa atua em vários segmentos, como residencial de alta renda, baixa renda, bem como empreendimentos comerciais e shoppings centers.

Nutriplant (NUTR3)

A Nutriplant é uma fabricante de fertilizantes agrícolas, fundada em 1979 a partir da fusão da Frit Industries e da Ferro Corporation. Atualmente, detém cerca de 6% do mercado nacional do segmento.

Pomifrutas (FRTA3)

Com capacidade de produção de 40 mil toneladas por ano, a Pomifrutas produz e comercializa maçãs in natura e processadas, sendo uma das pioneiras desse segmento no Brasil. Até 2010, chamava-se Renar (RNAR3).

Dica bônus para quem busca investimentos sem Imposto de Renda

Gostou da ideia de fazer investimentos sem Imposto de Renda? Temos uma dica extra. Lucros com a venda de Ações até o valor de R$ 20 mil em único mês também são isentos.

Mas é preciso ficar atento às exceções. Acima desse valor, você deve pagar 15% sobre os ganhos. As operações de Day Trade, ou seja, compra e venda de Ações no mesmo dia, não têm isenção de Imposto de Renda. 

Por que existem investimentos sem Imposto de Renda?

Sobretudo, o principal motivo é incentivar que as pessoas invistam mais nesses ativos. Existem alguns setores estratégicos, como por exemplo o imobiliário e o agronegócio, que o governo quer fomentar.

Como resultado, alguns impostos são retirados para ajudar no desenvolvimento do país.

Antes de tudo, lembre-se que o Imposto de Renda incide apenas sobre a rentabilidade. Ou seja, nunca sobre o valor total aplicado.

Investimentos sem Imposto de Renda: quando vale a pena?

É muito importante saber que o fato de investimentos como LCIs e LCAs não terem Imposto de Renda não significa que elas vão render mais que outras aplicações.

No caso de uma LCI, por exemplo, tudo depende da estratégia do banco. Se em um determinado momento ele tiver empréstimos para fazer para empresas do setor imobiliário, ele pode emitir uma LCI com uma taxa mais atraente para atrair investidores para esse título. 

Por outro lado, se em outro momento o banco não tiver empréstimos para o setor imobiliário ou agrícola, mas para outros setores, ele pode emitir um CDB com uma taxa melhor.

Por fim, vale a pena você ficar de olho e sempre calcular o retorno líquido. Ou seja, já descontado o Imposto de Renda e taxas que você eventualmente precise pagar.

E é claro que a Easynvest te ajuda nisso também! Em seguida, dê uma olhada no nosso simulador, descubra o melhor investimento para você.

Depois, é só correr para a nossa plataforma e começar a fazer o seu dinheiro virar mais dinheiro.