Esse tema tem ganhado cada vez mais força no mercado financeiro. E especialistas já deixaram bem claro que ele veio para ficar. O investimento ESG, ou sustentável, agora faz parte do “novo normal” do mundo dos investimentos. Assim, já é comum que investidores queiram aliar rentabilidade com práticas que contribuam para um mundo melhor. E acredite, isso é possível.

 

Hoje, muitas empresas já desenvolvem políticas para contribuir com o meio ambiente, com questões sociais (como direitos das mulheres e diversidade) e de governança corporativa. Desde já, vale você saber que esse é um mercado que vale cerca de 30 trilhões de dólares, o que representa 36% dos ativos financeiros totais sob gestão no mundo, segundo a instituição Global Sustainable Investment Alliance (GSIA).

 

Mas, antes de tudo, será que investimentos sustentáveis dão lucro mesmo? É uma boa para o longo prazo? Como saber se uma empresa é verdadeiramente ESG? Neste post, vamos responder essas e outras questões.

 

Se você ficou interessado em aliar seus investimentos com causas que podem ajudar a faze o bem, continue a leitura.

 

O que é Investimento ESG

 

ESG é uma sigla em inglês para Environmental, Social e Governance. Em uma tradução para o português, podemos definir essa sopa de letrinhas como Meio Ambiente, Social e Governança. Além disso, em português também é utilizada a sigla ASG, que se refere a fatores ambientais, socialmente responsáveis e de governança.

 

Em síntese, esse é um termo genérico para investimentos que buscam retorno positivo e impacto de longo prazo na sociedade, nos recursos naturais e no desempenho dos negócios.

 

Na prática, o ESG significa um conjunto de critérios e valores éticos que guiam a atuação de uma empresa. Ou seja, esse tipo de investimento é conhecido por priorizar valores ambientais, sociais e de direitos humanos. Em outras palavras, ele possibilita investir em empresas que mantém o desenvolvimento sustentável como foco de suas ações dentro e fora da companhia.

 

Para você compreender melhor quais práticas ESG uma empresa pode desenvolver, confira alguns exemplos a seguir. 

 

Environmental – Meio Ambiente

 

  • Preocupação com mudanças climáticas;
  • Redução de emissões de gases de efeito estufa;
  • Iniciativas para evitar o esgotamento de recursos, incluindo água;
  • Políticas para armazenamento e descarte consciente de resíduos e poluição;
  • Iniciativas anti-desmatamento.

 

Social

 

  • Respeito ao bem estar dos funcionários e às condições de trabalho, incluindo combate a escravidão e trabalho;
  • infantil;
  • Projetos que apoiam comunidades locais, incluindo comunidades indígenas;
  • Iniciativas que geram benefícios à saúde e segurança;
  • Projetos que fomentem os direitos das mulheres;
  • Incentivo às relações e diversidade dos funcionários.

 

Governança corporativa

 

  • Prática anti-suborno e corrupção;
  • Transparência em seus processos;
  • Auditorias frequentes;
  • Iniciativas que evitem a instabilidade política e os conflitos de interesse;
  • Conselho de administração independente.

 

Para você ter uma ideia, os investimentos ESG começaram na década de 1960, com os investidores excluindo ações ou indústrias inteiras de suas carteiras porque elas tinham atividades comerciais como a produção de tabaco ou envolvimento no regime de apartheid sul-africano.

 

Nos últimos anos, a preocupação com essa temática voltou a crescer. Muitos investidores não estão apenas interessados ​​nos resultados financeiros das suas aplicações. Eles realmente se preocupam com o impacto dos seus investimentos e com o papel que os seus ativos podem ter, por exemplo na promoção de questões globais, como a ação climática.

 

Rentabilidade do investimento ESG

 

Se engana quem acredita que as empresas que seguem os critérios ESG não têm foco no lucro. Inclusive essa preocupação foi confirmada por uma pesquisa realizada entre investidores institucionais dos Estados Unidos em 2017. O estudo mostrou que 47% deles tinham preocupações com o desempenho dos investimentos ESG. Do mesmo modo, esse grupo ainda não havia aplicado nessa categoria de investimento e o receio era o principal motivo para isso. 

 

Porém, hoje já existe um consenso no mercado financeiro de que isso não é verdade. Atualmente existem no mercado vários índices que medem o desempenho das empresas ESG e eles mostram que essas companhias têm retornos até maiores que a média do mercado. Por exemplo a família de índice MSCI, que é a mais importante e foi criada em 1991 nos Estados Unidos.

 

Dê só uma olhada no desempenho dos índices  índice MSCI KLD 400 e MSCI EUA ao longo das últimas décadas.

 

Investimento ESG

 

 

A explicação para esses resultados, como apontam os especialistas, é que as empresas que se preocupam com os critérios ESG têm menos riscos em suas operações. Ou seja, menos processos administrativos, trabalhistas, menos problemas de governança ou problemas com normas ambientais. 

 

Aí, por fim, essas companhias conseguem reduzir os riscos e aumentar a rentabilidade, o cenário ideal para qualquer investimento.

 

 

 

Fundos ESG e a escolha das empresas

 

Se você está procurando uma maneira rápida de se tornar um investidor ESG, um lugar para procurar são os Fundos de Investimento que aplicam exclusivamente em ativos ESG. Hoje, já existem vários desses investimentos no mercado brasileiro, inclusive na plataforma da Easynvest. O responsável pela área de Relações com investidores da gestora JGP, Ilan Parnes, que em 2020 lançou dois fundos ESG, explicou que hoje os gestores não se preocupam apenas com indicadores financeiros, como fluxo de caixa por exemplo.

 

Agora, é importante avaliar a capacidade que a empresa tem de gerar valor ao longo do tempo. E aí a gestora busca informações sobre a empresa. Ela estuda para entender as especificidades de cada setor, bem como as práticas ESG estão sendo aplicadas naquele nicho.

 

Dessa forma, é feita uma análise que leva em conta tanto a parte quantitativa quanto qualitativa das práticas ESG dentro de cada companhia estudada. 

 

 

 

Índices de sustentabilidade da B3

 

A Bolsa de Valores do Brasil, a B3, mantém um conjunto de índices de sustentabilidade. Esses índices podem ajudar o investidor a identificar empresas alinhadas com as práticas ESG. Confira quais são eles:

 

  • Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE B3)
  • Índice Carbono Eficiente (ICO2 B3)
  • Índice de Ações com Governança Corporativa Diferenciada (IGC)
  • Índice de Governança Corporativa Trade (IGCT)
  • Índice Governança Corporativa – Novo Mercado (IGC-NM)
  • Índice de Ações com Tag Along Diferenciado (ITAG)

 

Vale a pena fazer um investimento ESG?

 

O ESG no Brasil já é uma realidade e a tendência é que esse tema fique cada vez mais forte por aqui. Nesse sentifo, algumas empresas já adotam as práticas ESG e estão listadas na Bolsa de Valores. Inclusive já existem gestoras de Fundos de Investimento que investem exclusivamente em empresas ESG. Também já é possível fazer uma aplicação ESG tanto na Renda Fixa quanto na Renda Variável

 

Inclusive empresas que não seguirem os critérios podem até ser penalizadas ao longo do tempo com uma desvalorização no mercado. Para entender se o investimento ESG é uma boa oportunidade, os investidores devem levar em conta tanto o potencial de rentabilidade quando os valores que esses ativos carregam.

 

Portanto, se você é apaixonado por meio ambiente, seu portfólio provavelmente terá investimentos em fontes de energia verde, como empresas de energia eólica e solar. Ou se por exemplo você se preocupa em apoiar com os direitos das mulheres, você pode aplicar em fundos que investem em empresas administradas por mulheres. 

 

E por outro lado, o investimento ESG também tem a ver com os ativos em que você não aplica, você pode optar por se desfazer de uma empresa se descobrir que ela maltrata os funcionários LGBTQ. Definitivamente são muitas as possibilidades.

 

Para conhecer os investimentos ESG disponíveis na plataforma da Easynvest, é só clicar aqui.