Texto por Invista como uma garota

Nossa reflexão desta vez começa com um exercício prático. Liste as 10 últimas coisas com as quais você gastou dinheiro (podem ser as 10 que você se lembra, sem problemas, haha) e quanto elas custaram. Depois, dê uma nota de 0 a 10 para cada uma delas representando o quanto elas te fizeram sentir bem.

Agora, faça uma linha horizontal. Ela será o eixo x do seu gráfico, o eixo que vai representar o preço. Depois, faça uma linha vertical pra completar o gráfico agora com o eixo y, que será o eixo da felicidade/satisfação. Coloque esses dez itens no gráfico considerando os dois eixos: o quanto você gastou versus quanta satisfação aquilo te trouxe em ordem crescente do menor para o maior. Que lições você tira disso, só batendo o olho no gráfico?

Quando nós duas fizemos isso com os nossos gastos, várias fichinhas caíram. Quando vemos outras garotas fazendo também, é incrível ver as caras de interrogação e de eureka que vão surgindo. É bastante revelador ver que tipo de coisas realmente fazem a gente feliz, com que tipos de coisas a gente gasta e depois vê que não fazem sentido, que algumas coisas muito baratas podem trazer muito mais bem-estar do que algumas coisas muito caras.

O ponto dessa reflexão não é o quanto as coisas custam, é o autoconhecimento para entendermos o quanto pode ser bom para o nosso bolso e para a nossa saúde mental, gastarmos com o que realmente é prioridade pra gente, o que realmente nos faz bem.

É claro que, apesar de o ponto dessa conversa não ser o preço das coisas, obviamente não estamos dizendo pra você sair torrando seu dinheiro com tudo o que te faz bem. Aqui o bom senso (e o orçamento!!!) é muito bem-vindo. Nem sempre querer é poder – e a sabedoria pra esperarmos e fazermos as coisas no momento mais oportuno é essencial. Gastar de forma alinhada às nossas prioridades e com as coisas que realmente nos fazem bem é uma mudança de chave na nossa vida, é uma forma de analisarmos onde faz sentido colocarmos nossa energia, nosso tempo, nosso dinheiro.

Esperamos que algumas fichas tenham caído quando você viu o seu gráfico. Com a gente sempre cai. E se você ainda não fez, esperamos que você faça e se permita entender o que é e o que não é prioridade na sua vida e, assim, possa fazer escolhas mais conscientes. Quando você desenhar o gráfico, seja no papel, no Excel, onde for, compartilha com a gente no nosso Instagram. Vai ser muito legal ver o que faz cada uma de vocês felizes e ver que as prioridades mudam de garota pra garota.