Fundos de Investimento então em alta entre os brasileiros. Assim, é comum surgirem dúvidas sobre qual categoria escolher. Decidir entre um Fundo de Ações ou Multimercado costuma ser difícil para muitas pessoas. 

 

Afinal, cada um possui características e estratégias diferentes, bem como níveis de riscos e rentabilidades únicas. Antes de mais nada, é importante entender como os diferentes tipos de fundos funcionam.

 

Para te ajudar na sua decisão de investimento, preparamos um post completo com tudo o que você precisa saber para escolher entre um Fundo de Ações e Multimercado. Boa leitura!

 

  • O que são Fundos de Investimento
  • O que é Fundo de Ações
  • O que é Fundo Multimercado
  • Fundo de Ações ou Multimercado: vantagens e desvantagens
  • Tributação e Taxas
  • Fundo de Ações ou Multimercado: qual escolher
  • Como investir nesses Fundos de Investimento

 

O que são Fundos de Investimento

 

Fundos são uma modalidade de investimento coletivo. Em outras palavras, isso significa que eles reúnem recursos financeiros de diversos investidores para um investimento em conjunto.

 

Ou seja, várias pessoas investem em um fundo que é composto por diversos ativos e é gerido por um especialista. Esse profissional é o gestor do fundo, pois ele toma conta de todo o patrimônio.

 

Por sua vez, esse patrimônio pode estar na forma de Ações, imóveis, títulos públicos, derivativos, entre outros.

 

Na prática, o fundo funciona como um condomínio. Nessa analogia, cada condômino é o dono de uma cota (um apartamento). Então, eles pagam alguém (síndico ou administrador) para administrar e coordenar as diversas tarefas do condomínio, por exemplo jardineiro, limpeza, porteiro, entre outros.

 

 

O que é Fundo de Ações

 

Fundos de Ações são uma alternativa para quem quer entrar no mercado de Ações mas não tem tempo ou conhecimento para isso. Por outro lado, essa categoria segue o mesmo princípio de qualquer outro Fundo de Investimento, onde o investidor participa por meio da aquisição de cotas.

 

Por regra, um Fundo de Ações deve investir no mínimo 67% do seu investimento em Ações. Dessa maneira, o gestor sempre deve manter no mínimo este percentual alocado em Renda Variável, ou seja, Ações bem como outros instrumentos financeiros, incluindo ETFs e Fundos Imobiliários

 

Os Fundos de Ações se dividem em três principais tipos, que usam diferentes estratégias básicas.

 

  • Long Only: são fundos que basicamente apostam na alta e na valorização dos papéis que estão em sua carteira. Ou seja, para apresentar rentabilidade, dependem diretamente das tendências do mercado, o que os tornam suscetíveis também às oscilações negativas.

 

  • Long And Short: esses fundos operam com pares de ativos, acreditando na valorização de um e na desvalorização do outro. Neste caso, os ativos que são comprados para valorização se concentram na estratégia Long, já os que serão vendidos, na Short. Operando em duas pontas, esses fundos não dependem das tendências do mercado.

 

  • Long Biased: funcionam como uma mistura dos dois tipos anteriores. Tais fundos buscam aproveitar tendências de alta no mercado de Ações, logo se concentram na ponta Long da estratégia. Ainda assim, conseguem se proteger de eventuais quedas no mercado porque também podem ter ativos na posição Short, permitindo maior flexibilidade ao gestor.

 

Essa modalidade de investimento possui mais riscos envolvidos, pois no mercado de Renda Variável existe a possibilidade de desvalorização das Ações, e, portanto, das cotas do fundo.

 

Mas é importante que o investidor leia atentamente o prospecto e a lâmina de informações essenciais para verificar a estratégia do fundo e em quais mercados e setores o gestor irá atuar.

 

O que é Fundo Multimercado

 

Um Fundo Multimercado funciona como um coringa na carteira de um investidor, fazendo uma ponte entre as classes de ativos como a Renda fixa e a Renda variável. 

 

É o fundo que oferece a maior diversidade de ativos. Além disso, ele está entre os mais populares e mais ofertados no mercado de fundos. 

 

Diferente das outras classes de fundos, os Fundos Multimercado possuem versatilidade e dão boa liberdade para o gestor adquirir diversos tipos de ativos e, assim, aproveitar oportunidades no mercado com a valorização ou desvalorização de juros, moedas e renda variável.

 

Dentro dessa classe de investimento há diferentes estratégias que farão com que os fundos tenham comportamentos distintos diante das oscilações do mercado financeiro.

 

No geral, as estratégias são:

 

  • Macro: Busca antecipar tendências macroeconômicas no Brasil e no exterior. Para isso, o gestor vai alocar recursos em ativos de renda Fixa, Renda Variável e derivativos que acompanhem a tendência que ele acredita que o mercado irá seguir.

 

  • Long & Short: Faz julgamento de preços com produtos da mesma categoria e, assim, ganha por meio de oscilações e distorções do mercado. Ou seja, compra uma Ação onde tenha identificado potencial de valorização e vende uma ação onde acredita que a tendência seja a desvalorização.

 

  • Crédito privado: O fundo aplica em títulos privados como CDB, LCA, debêntures e outros instrumentos do mesmo gênero. A remuneração dos ativos que compõem a carteira pode ser prefixada, pós-fixada ou corrigida pela inflação.

 

  • Livre: Nesse caso, o gestor tem total liberdade para investir em diferentes segmentos para buscar retorno aos cotistas.

 

  • Juros e moedas: Aplica especificamente em títulos de Renda Fixa e moedas. A aquisição de ações é vedada.

 

  • Quantitativa: A análise é feita por meio de modelos matemáticos. Ou seja, as decisões são tomadas pelos algoritmos, sem nenhuma intervenção humana.

 

Fundo de Ações ou Multimercado: vantagens e desvantagens

 

Antes de investir em um Fundo de Ações ou Multimercado, você deve comparar os diferentes tipos de fundos e entender qual se encaixa no seu perfil de investidor e também nos seus objetivos. 

 

Para dar um exemplo, nem o Fundo de Ações nem os Multimercados são adequados para reserva de emergência. Em geral, eles não têm liquidez diária, ou seja, você não pode sacar o seu dinheiro quando quiser, mas apenas de acordo com as regras do fundo.

 

Além disso, eles também têm um maior nível de risco e volatilidade. Mas é por isso que a rentabilidade também costuma ser maior.

 

A grande vantagem desse tipo de investimento é a possibilidade de se proteger das oscilações do mercado graças à gestão profissional do fundo, mas sempre mirando o médio e longo prazo.

 

Fundo de Ações – Vantagens

 

  • Gestão profissional que negocia as Ações de acordo com as políticas de investimento do fundo;
  • Possibilidade de retorno maior do que o encontrado numa Renda Fixa tradicional;
  • Instrumento útil para quem quer aplicar em Renda Variável mas não tem tempo ou conhecimento para negociar diretamente na Bolsa de Valores.

 

Fundo Multimercado – Vantagens

 

  • Possibilidade de retorno maior do que a Renda Fixa tradicional;
  • Investimento flexível que traz a possibilidade de reposicionamento de carteira para buscar proteção contra oscilações de mercado, ou lucrar em movimentos atípicos;
  • Maior diversificação de ativos e estratégias;
  • Muitas opções disponíveis no mercado financeiro;
  • Gestão profissional, que busca constantemente alternativas para alocação de recursos.

 

Lembrando que, ao combinar diversos tipos de ativos, os Fundos Multimercado podem abranger todos os perfis de investidor. Os conservadores podem optar por fundos que aplicam predominantemente em Renda Fixa, enquanto os mais agressivos podem focar em fundos que mirem em Ações ou câmbio.

 

 

Tributação e Taxas

 

Fundos de investimento têm cobrança de Imposto de Renda, incluindo as categorias de Ações e Multimercado. O percentual varia entre 15% (para aplicações de mais de 720 dias) a 22,5% (para menos de 180 dias) sobre o rendimento, exceto para os fundos de ações, fixados em 15%.

 

Para Fundos de Ações ou Multimercado de curto prazo, até 365 dias, os rendimentos sofrem a tributação do IR da seguinte forma: 

 

  • Até 180 dias: 22,5%
  • De 181 a 360 dias: 20%

 

Para os fundos de carteira com prazo superior a 365 dias, o Imposto de Renda é cobrado de forma regressiva: 

 

Confira abaixo a tabela regressiva do IR:

 

  • Até 180 dias: 22,5%
  • De 181 a 360 dias: 20%
  • De 361 a 720 dias: 17,5%
  • Acima de 721 dias: 15%

 

Além do Imposto de Renda, nos Fundos de Investimentos há também o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). Ele é válido apenas para investimentos que durem menos de 30 dias. Também funciona por meio de uma tabela regressiva que vai do primeiro ao trigésimo dia.

 

Outro tipo de tributação para alguns Fundos de Investimento é o chamado come-cotas. É uma antecipação do Imposto de Renda, que ocorre duas vezes por ano: no último dia de maio e no último dia de novembro.

 

Fundos Multimercado, Fundos DI, Fundos de Renda Fixa e Fundos Cambiais podem estar sujeitos ao come-cotas. 

 

Fundos de Ações, Fundos imobiliários e de Previdência não têm incidência de come-cotas. Neles, o Imposto de Renda é cobrado apenas no resgate do investimento.

 

O investidor também precisa arcar com as taxas de administração e de performance. É possível encontrar fundos com taxa de administração de 0,15% a 4% ao ano. Já a taxa de performance é cobrada conforme o rendimento do fundo.

 

 

Fundo de Ações ou Multimercado: qual escolher

 

Na hora de escolher um fundo para chamar de seu, você deve considerar vários fatores antes de tomar uma decisão. Assim considere, por exemplo, os seus objetivos de investimento, quanto você tem disponível para aplicar e o prazo de resgate. 

 

Mas, se você já construiu a sua reserva de emergência e busca diversificação de investimentos, os Fundos Multimercados podem ser uma boa escolha. 

 

Já os Fundos de Ações envolvem mais risco e volatilidade, ou seja, aquele sobe e desce no valor do seu investimento. Portanto, se você tem um perfil um pouco mais experiente e topa essas condições, nada te impede de entrar nesse tipo de aplicação. Afinal, aqui os retornos tendem a ser maiores. 

 

Por fim, o mais importante é ter calma e analisar com cuidado. Mas antes de tomar qualquer decisão, veja algumas dicas para investir em fundos de investimento:

 

  • OBSERVE AS CARACTERÍSTICAS: Confira sempre as taxas de administração e performance, e o prazo de resgate.
  • ANALISE O FUNDO: Uma boa avaliação de performance não é necessariamente dentro de um tempo somente. Sempre contextualize com grandes eventos.
  • CONHEÇA GESTÃO: São pessoas que fazem as análises e, como qualquer um, podem cometer erros e acertos. Pesquise!
  • CONHEÇA A CASA GESTORA: Fique de olho nas estrelas! Além disso, não esqueça de checar quanto tempo de mercado, resiliência e expertise a gestora possui.

 

Como investir nesses fundos

 

Agora que você já conhece os detalhes para investir em Fundo de Ações ou Multimercado, já pode começar a investir na plataforma da Easynvest

 

Portanto, se precisar de uma ajudinha para escolher os melhores Fundos de Investimento, é só usar as estrelas Morningstar.

 

A Morningstar é a maior casa de análise de Fundos de Investimento do mundo. Na prática, o rating Morningstar significa ter uma escala da relação risco e retorno que vai de 1 a 5 estrelas.

 

Nesse ranking, a nota 5 mostra que o fundo entrega resultado com consistência e boa gestão, destacando assim os melhores Fundos elegíveis disponíveis na Easynvest.

 

Curtiu? Então clique aqui para conferir as opções de fundos disponíveis na plataforma da Easynvest.