Quase todo mundo já tem um monte de planos para o 13º salário antes mesmo dele chegar na conta, né? Mas para você que decidiu fazer seu dinheiro virar mais dinheiro neste final de ano é importante ter uma estratégia bem alinhada com suas metas.

Seja para pagar suas dívidas ou para investir visando objetivos financeiros maiores, a organização é fundamental para que você se mantenha focado e motivado.

Por isso, preparamos algumas dicas para você não se perder em seu planejamento e usar seu décimo terceiro da melhor forma possível.

Prioridades

A primeira coisa é definir suas prioridades financeiras. Se for o caso, sua atenção deve se voltar inicialmente às dívidas. Antes de focar sua atenção em metas mais ousadas, como comprar um carro, um imóvel ou investir na aposentadoria, você deve zerar seu saldo devedor.

Uma reserva de emergência bem estruturada também é fundamental para uma vida financeira saudável, e se você ainda não tem a sua, pode ser uma boa hora para se dedicar a ela.

Depois disso, é com você. Quer pagar aquela viagem dos sonhos primeiro, ou fazer a reforma que a cozinha tanto precisa? Está na hora de definir a ordem que você vai alcançar seus objetivos financeiros.

Apesar de ser algo muito pessoal, muitos especialistas indicam inserir metas pequenas entre aquelas mais difíceis de realizar. A motivação ao atingir diferentes metas é muito importante para te manter focado no seu planejamento financeiro.

Curto, médio ou longo prazo

O próximo passo será encaixar seus objetivos em prazos definidos. Para isso, você precisa fazer um diagnóstico financeiro da sua situação, e então, definir o quanto pode investir por mês.

A partir daí, depois de definir o que você quer fazer primeiro, é só comparar o quanto você pode investir por mês com o quanto precisa de dinheiro para cada objetivo.

Com nossa planilha de rendimentos da Renda Fixa, descubra quanto tempo você precisa para chegar aos valores necessários a cada meta e divida seus objetivos conforme os prazos.

As metas de curto prazo são aquelas que você planeja realizar em até um ano. As de médio prazo, entre um e três anos, e de longo prazo, em pelo menos cinco anos.

No que investir?

A tributação, a liquidez (velocidade com que você consegue vender os ativos), os riscos e a rentabilidade de cada investimento os fazem mais ou menos apropriados aos diferentes prazos para chegar a seus objetivos. Qualquer que seja seu prazo, não esqueça de diversificar seus investimentos.

Para metas de até um ano, prefira investimentos com alta liquidez, baixa tributação e baixos custos de operação (taxas de custódia, de administração, corretagem e etc). Títulos CDB, Fundos DI, Tesouro Direto, LCIs ou LCAs são boas pedidas para esses objetivos.

Em investimentos com prazo entre três e cinco anos, algum nível de risco já pode ser admitido, porque pode existir tempo hábil para recuperação das possíveis oscilações de mercado. Além de LCIs, LCAs e do Tesouro Direto, alguns COEs, Fundos DI e Multimercado podem ser ótimas opções para esse caso.

Visando objetivos com o prazo a partir de cinco anos, a diversificação se torna ainda mais essencial. Isso porque esse tipo de meta já comporta investimentos com um pouco mais de risco, já que o tempo para recuperação das possíveis oscilações negativas é maior. Isso reforça ainda mais as chances da sua estratégia financeira vingar.

Assim, aqui cabem investimentos em Renda Variável, como Fundos Cambiais ou Ações, assim como Fundos de Investimento Imobiliário. Não abra mão da Renda Fixa, mantenha sempre em mente a diversificação da sua carteira.

 

 

Importante: Mantenha seu Perfil de Investidor atualizado e obtenha conhecimento dos riscos envolvidos no produto antes da aplicação.