A Reforma da Previdência ainda causa confusão em muitos brasileiros, mesmo naqueles que acompanharam os trabalhos do Congresso Nacional para a consolidação da nova lei. Idade mínima, nova base de cálculo, regras de transição…

Antes de tudo, é importante esclarecer que nada muda para quem já está aposentado e para quem já pode se aposentar segundo a antiga regra. Ainda assim, vários podem ser os pontos de dúvida nesse assunto que é tão importante para todo mundo: aposentadoria.

Assim, como não poderia deixar de ser, a Easynvest vai te ajudar nessa também! Se liga no nosso texto e entenda as mudanças na previdência pública em 3 pontos principais:

Idade mínima

A principal alteração para quem ainda não está em vias de se aposentar é a implantação da tal da idade mínima. Antes da reforma, o cálculo para se aposentar era uma soma do tempo trabalhado com a idade do trabalhador. Quando a soma chegava ao número alvo o contribuinte poderia passar a receber seu benefício, sem limite mínimo de idade.

Com a reforma, esse limite foi implantado. Agora, para se aposentar, homens devem ter pelo menos 65 anos e 20 de contribuição e mulheres 62 anos e 15 de contribuição. Servidores públicos estão sujeitos aos mesmos limites de idade, mas com 25 anos de contribuição para ambos os sexos.

Ainda assim, quem optar por se aposentar na idade mínima, vai receber 60% do valor integral do benefício, com o percentual subindo 2 pontos a cada ano extra trabalhado.

Regras de transição

As regras de transição para o novo regime previdenciário acabaram sendo a parte mais complexa da reforma. O texto da nova Previdência enumera seis diferentes regras de transição. São 4 para trabalhadores da iniciativa privada que já estão no mercado, uma para servidores públicos e outra regra comum para todos.

Aqui a recomendação é mesmo estudar todos os modelos, fazer simulações e ver qual a melhor saída para cada caso. A Secretaria de Previdência do Ministério da Economia preparou um documento com todas as possibilidades de transição para os contribuintes.

Nova base de cálculo

Anteriormente, o cálculo era feito com base no histórico de contribuições do trabalhador, descartando as 20% mais baixas. Agora o cálculo será feito com todo o histórico, abaixando assim o resultado final do valor de aposentadoria.

Agora, ao atingir o tempo mínimo de contribuição, os trabalhadores terão direito a 60% do benefício total. A cada ano trabalhado acima da idade mínima, sobe 2%. Para alcançar os 100%, homens terão que trabalhar 40 anos e mulheres 35.

Tá, mas… e na prática?

Quer entender na prática os efeitos da Reforma da Previdência na sua vida? Olha que bate papo legal que rolou aqui na Easynvest:

Agora que você já entendeu que vai precisar de planos fora a Previdência Pública para sua aposentadoria, fica ligado na Previdência Privada Easynvest! Vem fazer seu dinheiro render mais!