Na hora de investir o seu dinheiro, você com certeza se deparou com inúmeras opções de investimento. Algumas são mais vantajosas do que as outras e isso lhe confere a oportunidade de não colocar todo o seu dinheiro em apenas uma opção. Para isso, existe a carteira de investimentos.

A carteira de investimentos é um passo importante para elevar o potencial de ganhos e, ao mesmo tempo, reduzir riscos e criar uma estratégia de rendimento para que o seu dinheiro cresça — por mais que o cenário econômico não esteja tão favorável. Essa é a chance de maximizar seus ganhos!

Continue a leitura e saiba como montar uma carteira de investimentos de acordo com suas necessidades.

O que é carteira de investimentos?

É chamado de carteira de investimentos o conjunto de aplicações que todo investidor tem, independentemente de ser pessoa física ou jurídica. Ela também é chamada de cesta ou portfólio de investimentos.

Em outras palavras, esse é o nome dado aos ativos financeiros que você escolhe para fazer com que o seu dinheiro cresça. Fazem parte desses ativos tanto os de renda fixa quanto variável.

Todo investidor precisa conhecer esse conceito, pois ele dá as orientações sobre a melhor forma de montar a carteira. Além de lucrar mais, a carteira de investimentos é uma forma de proteger seu dinheiro.

Para entender o funcionamento dela, lembre-se da última vez que viajou. Para evitar aborrecimentos, você dividiu o dinheiro entre quantia em espécie e cartões de crédito e débito, separando-os com o intuito de proteger.

Essa é a lógica da carteira de investimentos, pois você divide o seu dinheiro entre diferentes ativos e, com isso, corre menos riscos, já que ele se encontra em mais de uma aplicação.

Por que montar uma carteira de investimentos?

Quem está começando no mundo dos investimentos, imagina que o mais seguro é escolher aquela aplicação de renda fixa da qual todos falam. No entanto, essa visão de que o dinheiro estaria seguro nem sempre faz sentido.

Se as variáveis da economia prejudicarem justamente a aplicação que você escolheu, podem ocorrer perdas financeiras. Por isso, o mais lógico é que você coloque um pouco em cada aplicação — aproveitando também a oportunidade de aplicar naquelas que têm rendimentos e riscos maiores.

Sendo assim, é fundamental que você pesquise bastante sobre as aplicações antes de escolher uma. Ao montar uma carteira de investimentos diversificada, você faz bem ao seu bolso e consegue obter resultados melhores.

Como montar uma carteira de investimentos?

Afinal, como montar uma carteira de investimentos?

A carteira de investimentos é uma forma de diversificar seus investimentos e garantir seus ganhos.

 

Faça um diagnóstico das suas finanças

Não é difícil. Basta compreender que a carteira de investimentos deve refletir tanto suas perspectivas futuras, quanto sua situação financeira atual. Faça uma planilha de controle e anote ganhos e gastos, além das despesas para os próximos meses e anos — como financiamentos de imóvel e carro.

Descubra o seu perfil de investidor

O perfil conservador é aquele que busca o máximo de segurança, previsibilidade e o mínimo risco para os seus investimentos. Para esse perfil, as aplicações recomendadas são as do tipo Renda Fixa (Tesouro Direto e Títulos Privados).

Já o moderado aceita uma certa exposição aos riscos, desde que os seus objetivos a médio e longo prazo estejam seguros. Para ele, além da Renda Fixa, é possível indicar algumas oportunidades no mercado de ações.

Enquanto isso, o perfil experiente é aquele que conhece as diferentes modalidades de investimento e entende o risco como potencial para que o dinheiro renda mais.[1]  Ele está apto para investir em todos os mercados, inclusive Fundos de Investimentos.

Escolha o prazo de cada aplicação

O prazo para o retorno do investimento também é muito importante e, em uma carteira de investimentos, deve ser pensado para um período longo de tempo. Sendo assim, os investimentos de curto prazo vão de duas semanas a dois anos — modelo ideal para investidores iniciantes.

A médio prazo, de dois a cinco anos, existem opções como LCI, LCA, CDB e Tesouro Direto pré e pós-fixado. Já a longo prazo, superior a cinco anos, o ideal é que você foque ainda mais na diversificação da carteira de investimentos.

Com prazos mais distantes, é possível escolher opções que tenham um pouco mais de risco, pois o tempo age como fator de recuperação para possíveis oscilações. Desse modo, sua estratégia financeira ganha fôlego para dar certo

Defina o risco dos seus investimentos

Os investimentos de alto risco são aqueles que, na maioria das vezes, estão atrelados à renda variável — na qual o retorno não é projetado no momento da aplicação.

Já os investimentos de médio risco também têm oscilações, mas com intensidade menor. Eles procuram encontrar um ponto de equilíbrio, contrabalanceando investimentos mais ou menos seguros. Para escolhê-los, você deverá ficar atento à rentabilidade e à liquidez de cada opção, garantindo uma previsibilidade do rendimento.

O baixo risco é caracterizado pela proteção máxima ao investimento, destinando todo o capital ou a maior parte dele para aplicações de renda fixa.

Na hora de montar sua carteira de investimentos, considere o total que pretende investir e, a partir desse montante, é possível selecionar diversas opções. Saiba que, mesmo com pouco dinheiro, você já pode iniciar um investimento.

Aproveite para continuar aprendendo sobre como o seu dinheiro pode trabalhar por você. Na Easynvest você descobre qual é o melhor investimento, de acordo com o seu perfil. Confira o nosso simulador!