Quase todo mundo tem ou teve o sonho de fazer alguma grande viagem para fora do país, um ano sabático, estudar fora… Ou ainda comprar a casa própria, garantir a faculdade dos filhos ou uma previdência privada. Todos esses objetivos exigem uma programação prévia, e na maioria dos casos, esse planejamento deve ser cumprido por vários anos, até décadas.

Investimentos a longo prazo estão entre os mais populares e descomplicados ativos no mercado brasileiro. Mesmo assim, sem organização, muitos perdem o controle de suas finanças com o tempo, e acabam perdendo de vista seus objetivos financeiros a longo prazo.

Preparamos cinco dicas simples para te ajudar a se planejar, investir com segurança e alcançar suas metas e objetivos a longo prazo. Confira:

1-Estipular sua dívida

Primeiro, é importante estipular o valor total da sua dívida, caso houver. Dê prioridade às dívidas mais altas, e siga a partir daí. Organize seu orçamento, cortando gastos e estabelecendo metas para liquidar sua dívida.

2- Definir seu objetivo

Uma grande viagem? Aposentadoria? Pagar a educação dos filhos? Casa própria? É muito importante definir seu objetivo antes de escolher aonde investir. O prazo do investimento escolhido deve, é claro, coincidir com o momento do seu objetivo.

Por exemplo: se o objetivo é a aposentadoria, o investimento no Tesouro IPCA+ é uma ótima opção, já que o investimento tem prazos maiores e impede a perda do poder de compra porque acompanha a inflação.

Além disso, quão maior é o prazo do investimento, menores são os tributos.

3- Forme uma reserva de emergência

É essencial manter uma reserva de emergência. Já que não podemos prever quando alguma dificuldade vai nos exigir algum dinheiro. Como seus gastos estarão todos planejados, qualquer imprevisto pode levar a um desequilíbrio financeiro. O ideal é manter um fundo de 3 a 6 meses do seu gasto mensal. Isso é importantíssimo para que você mantenha seus planos mesmo em tempos de “vacas magras”.

4- Diversificar seus investimentos

É fácil reconhecer a instabilidade da economia nos últimos anos, não só no Brasil, mas no mundo inteiro. Assim, a necessidade de distribuir os investimentos entre diferentes títulos e fundos é bem fácil de entender, né? Quão mais “espalhadas”, estiverem nossas fichas, menor a chance de prejuízo.

É como aquele velho conselho dado por quase todas as avós e avôs do mundo: “nunca coloque todos os ovos na mesma cesta”!

5- Reavaliar periodicamente

Como são investimentos a longo prazo, 10, 15, 20 anos, é importante sempre reavaliar as opções feitas, e se for o caso, reposicionar seus investimentos. Ativos que antes rendiam bem podem não ser mais rentáveis depois de algum tempo, por isso, fique de olho em seus investimentos!

E aí, gostou das dicas? Ficou alguma dúvida? Deixe seu comentário aqui que iremos te ajudar!