A cada quatro anos o mundo para e assiste a um dos principais eventos esportivos do mundo, a Copa do Mundo de futebol. Torcedores pintam as ruas, se fantasiam e torcem pela sua seleção. Aqui no Brasil é comum ver inúmeros programas esportivos e grupos de WhatsApp discutirem desde a convocação até a escalação da seleção. “Aquele jogador não deveria ter sido chamado” e assim por diante. Cada um tem a sua.

E até aqueles que não são fãs no dia a dia do esporte, podem aproveitar o maior torneio do esporte. Quer saber como? Aplicando o esquema tático em outros momentos da sua vida! Incluindo a financeira. Afinal, você precisa ser o técnico de sua carteira para convocar seus investimentos e escalar os melhores produtos.

No time das finanças, tem os treinadores que gostam de jogar na “defensiva” e garantir um placar mais magro, porém efetivo. São mais conhecidos por aqui como conservadores. Têm aqueles que preferem adiantar um pouco mais o time. Tiram um zagueiro e escalam um meio de campo. São os moderados. E não falta também os arrojados: os técnicos que preferem jogar no ataque, mesmo que a defesa fique um pouco descoberta.

Pensando nas melhores táticas, a Easynvest convocou seu time e escalou os melhores investimentos. Para nós*.

No gol, temos o Tesouro Direto. Segurança e confiança é tudo que se espera de seu goleiro. Se você investir nele, você está garantido. É o investimento mais seguro do País e vai render mais que a poupança.

Na nossa zaga, colocamos o investimento clássico, a renda fixa privada. CDBs, LCIs e LCAs, por exemplo. Queremos que esse jogador tenha um bom rendimento, mas ele já tem liberdade para, de vez em quando, subir ao ataque e tentar uma cabeçada ou um rendimento maior.

Nas laterais, escolhemos os fundos de investimentos. São quase que coringas no time, mas vai depender de qual tipo de fundo você escolher na sua seleção. Ele pode servir mais para “guardar” e ter um rendimento parecido com os títulos de renda fixa, mas se você der mais liberdade e escolher um Multimercado, ele pode fazer alguns gols importantes. Por aqui, escalamos um fundo de renda fixa na esquerda e outro cambial na direita.

No meio de campo e para armar o jogo, escolhemos as ações. São investimentos que podem subir bastante no ataque, fazer belos gols, mas dependerá muito de que jogador (ou empresa) você escolher. Nessa posição, o técnico precisa de muita atenção para não errar, escolher um ação não tão boa e deixar espaços na sua carteira. Nossas ações jogadores ainda não renderam tanto. Mas, nesses jogadores visamos o longo prazo.

E no ataque, escolhemos as opções, ou seja, o mercado derivativo. São os que levam mais perigo. Mas, ao mesmo tempo, podem ser aqueles que mais trazem retornos. Em alguns jogos, “viram pó”, podem desaparecer e não render nada.

Por aqui estamos felizes com essa tática e focados na busca pela vitória!

E aí, qual é a escalação ideal para você? Conte aqui nos comentários.

*Pessoal, vale mencionar que esse é apenas um exemplo e de nenhum forma é indicação para seus investimentos. Assim como mencionamos no texto, cada um tem sua melhor escalação.