Inflação, poupança e dinheiro são temas recorrentes no Brasil. Mas, apesar da população lidar com esses assuntos no dia a dia, quando o tema é educação financeira, o País fica para trás. E muito.

Segundo dados da OCDE (Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico), o Brasil aparece apenas na 27ª posição entre 30 nações, em uma pesquisa feita sobre conceitos da educação financeira. Os números mostram a dificuldade que os brasileiros enfrentam, prejudicando a capacidade de planejamento futuro.

Esse número deve ser mais grave ainda quando a amostra é para crianças. Em pouquíssimas escolas e lugares existe a preocupação com a educação financeira. Porém, é muito importante que todos tenham conhecimento sobre essa área desde pequenos.

Uma boa base de educação financeira deixa a vida dessas crianças mais fácil, não apenas no aprendizado básico, mas também com as experiencias que terão no futuro, como investimentos, financiamentos e etc.

Para ajudar quem tem filhos ou participa da criação de crianças pequenas, selecionamos algumas dicas valiosas para ajudar na educação financeira delas.

Confira!

  • “Mesada não é só dinheiro”

Esse é o título do livro do educador financeiro Reinaldo Domingos, uma investigação cientifica para mostrar orientações sobre “o despertar para uma consciência financeira na vida de crianças e de jovens, com base na estruturação do sistema de mesada”.

A grande questão é começar a ensinar o valor do dinheiro por meio das mesadas. É muito importante que os pais definam quando começar a dar a mesada, o valor e o que deve cobrir.

Vale mencionar que é importante definir as datas de pagamento para que as crianças comecem a se acostumar com o planejamento financeiro.

  • Mesada e outras coisas

A mesada é um dos pontos principais para as crianças terem uma educação financeira. Mas, não o único. É muito importante que os pais incluam os filhos, a partir de determinada idade, em decisões financeiras que envolvam a casa. E aqui não é preciso começar com decisões críticas. Pai e mãe podem colocar os filhos para elaborarem juntos a lista do supermercado, por exemplo.

  • “Salário”

Além de ensinar a educação financeira por meio da mesada, os pais podem ensinar o valor do dinheiro recompensado os filhos por tarefas realizadas. Ajudar nos deveres de casa ou no trabalho dos pais, pode ser uma boa alternativa para as crianças terem um bônus a mais na mesada.

Vale ressaltar para os pais a importância de separar e não confundir a mesada com essas recompensas. Assim, as crianças conseguirão criar valores importantes de como cuidar e ganhar dinheiro.

  • Poupar e economizar

Muito provavelmente, o dinheiro da mesada e de algumas recompensas não será suficiente para comprar todos os presentes que a criança deseja. Afinal, quem nunca foi novo e teve vontade de sair comprando tudo o que estava na frente?

Por isso, é essencial que os pais criem na criança o hábito de poupar e economizar. Assim, ele terá dimensão real de que precisa guardar dinheiro para atingir certos objetivos.

Por último, vale mencionar que não há uma regra. Há crianças e crianças. Pais e mães. Ache uma maneira que adeque melhor ao perfil de seus filhos. O importante aqui é criar em seus filhos desde cedo a importância de poupar, obedecer prazos e saber administrar seu pequeno patrimônio.