Ainda está com dúvidas sobre o que é, como investir e qual FII (Fundos de Investimento Imobiliário) comprar? Fique tranquilo!

Neste mês de março abordaremos tudo sobre FIIs. E para começar, preparamos uma lista com 10 itens essenciais para você, investidor, tirar todas as suas dúvidas.

Quer investir? Confira a lista abaixo.

• 1: o que é?
Antes de mais nada é importante saber o que é um FII (Fundo de Investimento Imobiliário). FIIs são investimentos similares a fundos de investimento, mas onde todo o recurso captado é investido no setor imobiliário.

• 2: Tipos de fundo
Também como nos fundos de investimentos, existem diferentes tipos de FIIs no mercado. Há três tipos de tijolo, papel e fundos de fundo.

– Fundos de tijolo
São fundos que investem diretamente em imóveis físicos. Agências bancárias, hospitais, imóveis comercias e etc.

– Fundos de papel
Fundos que investem em títulos do setor imobiliário como LCI e CRI.

– Fundos de fundo
São fundos de investimento que compram cotas de outros fundos de investimento imobiliário. É ideal para quem deseja montar uma carteira de FIIs e não tem tanto capital para investir. Assim, é possível comprar cotas de um fundo que investe em outros fundos.

• 3: Gestor
Onde investir? Esse é o papel do gestor. Assim como em um fundo de investimento, nos FIIs é o gestor que decide onde o dinheiro captado será investido. Ele analisa o setor, região e imóvel e decide onde será alocado.

Além disso, o gestor que tomará todas as medidas administrativas e de manutenção dos edifícios.

• 4: Rendimento
Ao investir em FII, o investidor tem três maneiras de lucrar. A primeira é pela valorização da cota. Os FIIs são negociados em bolsa e o investidor adquire cotas. Portanto, ao investir o cotista está exposto à oscilação, assim como uma ação de empresa. Ou seja, se ele comprou uma cota a R$ 100 e vendeu a R$ 150, o investidor lucrou R$ 50.

A segunda possibilidade é por meio do aluguel pago aos fundos e que são repassados aos cotistas.

E, por último, a dissolução do fundo. Essa alternativa é a mais improvável, pois significa que os imóveis foram vendidos e os valores são repassados proporcionalmente aos cotistas.

• 5: Melhor que imóveis físicos?
Quando o brasileiro pensa em investir, logo vem à mente duas coisas: poupança e imóvel. A poupança, a maioria das pessoas já sabem que não é vantajoso, além de render menos que o Tesouro Direto.

Mas, será que realmente vale mais a pena investir em imóveis do que comprar cotas de FIIs? A resposta não será sempre a mesma, mas investir em FIIs é muito mais prático do comprar um imóvel.

Uma das grandes questões de comprar um imóvel é a liquidez. Caso precise se desfazer de seu imóvel, você dependerá de questões do mercado e de um comprador, o que nem sempre aparece rapidamente.

Outro fator importante é a vacância. Um investidor que detém um imóvel corre o risco de o inquilino sair e o imóvel ficar vazio. Portanto, ele terá que arcar com todos os custos envolvidos.

Além disso, em um FII, toda administração é feita pelo gestor e administrador. Ao contrário de um imóvel, onde o proprietário tem que arcar com possíveis obras e atrasos de pagamento de aluguel.

• 6: Valor de investimento baixo
Com certeza, será necessário muito mais dinheiro para investir em um imóvel do que investir em FIIs. Ao comprar um imóvel físico, o investidor terá gastos como certidões, registros e dependendo do imóvel, o valor será alto. Além disso, ao investir em FIIs, você poderá adquirir apenas uma cota. Ou seja, é muito mais acessível e caso precise vender, a liquidez em FIIs tende a ser muito maior.

• 7: Imposto de renda
Em relação ao imposto de renda, os FIIs também têm vantagens. Os rendimentos mensais pagos aos cotistas são isentos de IR. Porém, caso tenha ganhado sobre a valorização da cota, o investidor paga 20% sobre o lucro.

• 8: Análise
Agora que você já sabe tudo sobre FIIs, deve vir a pergunta mais clássica: Em qual investir? Para te auxiliar nessa questão, temos uma sessão especial no Portal com relatórios da Lopes Filho & Associados, casa de análise do mercado financeiro, sobre FIIs. Lá, você encontrará informações essenciais que te auxiliarão na tomada de decisão. Ao entrar no portal, clique em “Renda Variável”, “Mercado” e “Onde Investir”.

• 9: Diversificação
Muito falado em nossos vídeos e textos, um dos fatores positivos para investir em FIIs é a diversificação de carteira. Como aplicar em cotas é muito mais acessível do que comprar um imóvel físico, o investidor tem a possiblidade de diversificar mais seus investimentos. Portanto, com um valor acessível, o investidor pode comprar FIIs de diferentes setores e diminuir o risco e exposição de sua carteira de investimento.

• 10: Momento econômico
O setor imobiliário passou por grandes dificuldades nos últimos anos, assim como a economia brasileira. Porém, uma pesquisa feita pelo Secovi-SP (Sindicato de Habitação do Estado de São Paulo) mostrou um crescimento do setor em 2017 após três anos de recesso. Além disso, outro fator que beneficia é a queda na taxa de juros, já que com taxas menores, as pessoas passam a usar mais o crédito para movimentações e compras, impactando também o setor imobiliário.

E aí, tirou suas dúvidas? Nos conte aqui embaixo o que você quer saber. Caso ainda tenha alguma questão, confira o Webinar especial que fizemos com o Sergio Magalhães, da VBI Real State.