Há mais de 2400 anos Aristóteles, o filósofo grego, já dizia que “a virtude está no hábito”. Mas parece que esses anos todos não foram o suficiente para nós aprendermos a lição.

Quem aí pode dizer que está com as finanças 100% equilibradas e organizadas? A boa notícia é que, com uma dose mínima de disciplina, dá para sair dessa situação. O segredo está em alterar os hábitos de consumo. O primeiro passo? Registrar seus gastos numa planilha. O segundo passo? Tentar enquadrar o orçamento na regra dos 50/15/35.

Isso significa destinar 50% da sua renda aos gastos essenciais, como moradia e alimentação; poupar 15% para engordar o cofrinho; e investir os 35% restantes em estilo de vida, tipo restaurante e cinema.

A conta não fechou? A raiz do problema provavelmente está no seu padrão de vida. Com algumas mudanças pontuais em determinados hábitos, você pode economizar muito dinheiro – e botar, enfim, suas contas em equilíbrio.

1: ALIMENTAÇÃO – MARMITA NO TRABALHO VS RESTAURANTE
Esse aqui é um dos maiores vilões do nosso dinheiro: almoçar em restaurante nos dias de trabalho. Para quem mora numa cidade como São Paulo, esse gasto vai ficar na faixa de R$ 15 a R$ 20 por dia.

Ou até mais, dependendo da região. Multiplique isso por 22 dias úteis. Viu só o rombo no orçamento? Levar comida de casa – a famosa marmita – vai resultar numa economia em torno de 50%, segundo levantamentos.

2: TRANSPORTE – BIKE OU TRANSPORTE PÚBLICO VS CARRO
O custo para manter um carro é bastante alto. Em primeiro lugar, você precisa comprá-lo. O financiamento ou consórcio vai consumir uma parcela considerável da sua receita.

Depois vem IPVA, seguro, manutenção… Sem contar a possibilidade de tomar uma multa. Ah, claro, e como esquecer da gasolina, que está custando uma pequena fortuna ultimamente?

Para resumir a ópera, se você já tem carro, vai gastar algumas centenas de reais por mês com ele. Se está comprando um, esse valor vai subir para alguns milhares.

Pesado para o bolso, né? Uma solução é trocar o carro pela bicicleta. O gasto mensal é 6 vezes menor, segundo estudos. Além de tudo, vai fazer um tremendo benefício à sua saúde.

Agora, se o trabalho fica muito longe, você pode cogitar também transporte público. Pegar ônibus, metrô – e, quando for passear, pedir um Uber.

3: DIVERSÃO – CUPONS VS PREÇO DE TABELA
Tá afim de conhecer um restaurante novo? Ou ver uma peça no teatro? Assistir a um filme no cinema? Cogite dar uma olhada em sites de cupons e descontos antes. Ali você pode encontrar excelentes oportunidades de economia para se divertir.

4: VIAGEM – MARCAR COM ANTECEDÊNCIA VS EM CIMA DA HORA
Viajar é um dos melhores investimentos (talvez “o” melhor) que o dinheiro proporciona. A experiência de conhecer novos lugares, novas culturas e novas pessoas é inesquecível.

Mas na hora de marcar uma viagem, também é preciso usar o dinheiro com sabedoria. Um dos truques mais eficazes é marcando hotel e passagem com antecedência.

Para ter ideia da economia que isso traz, faça um teste. Vá ao site de alguma companhia aérea e veja o preço de uma passagem para qualquer lugar (1) na semana que vem e (2) daqui seis meses. Gritante a diferença, né? Por isso o segredo é se planejar.

5: COMPRAS – PESQUISA VS IMPULSO
Não interessa o que você está comprando: roupa, bicicleta, vinho, etc. Sempre faça uma pesquisa preliminar antes de bater o martelo. O Google é uma maravilha para isso.

Algumas lojas vendem o mesmo produto por um preço bem mais baixo do que outras. E você pode cogitar também, se encontrar uma boa oportunidade, comprar de uma marca diferente.

A nossa dica? Além de pesquisar preço, investigue também a qualidade do produto. Reviews de consumidores são bem populares na internet. Isso vai ajudá-lo a fazer a melhor escolha.

6: LIFESTYLE – PREPARAR JANTAR VS COMER FORA
Para finalizar a nossa lista, essa aqui é uma mudança de hábito que vai fazê-lo economizar dinheiro e, ao mesmo tempo, se divertir: aprender a cozinhar.

Claro, de vez em quando é gostoso ir ao restaurante. Mas quando você faz isso em excesso, a conta fica cara ao final do mês. O negócio é alternar, portanto, com jantares em casa, preparados especialmente por você.

7: MEDIDAS EFETIVAS PORÉM COLOQUE NA PONTA DO LÁPIS
As seis medidas anteriores te ajudarão muito a ter um bom controle financeiro. Porém, de nada adiantará se você as seguir, mas não ter um orçamento pessoal efetivo. Somente uma planilha (ou aplicativo) com sua receita e gastos detalhados te ajudarão efetivamente. Anote o quanto você ganha, separe uma parte para investir e detalhe todas as despesas. Assim, você verá com clareza se está fechando o mês no azul ou no vermelho  – se o seu caso for essa segunda opção, será necessário um plano de ação. Com as anotações, tudo ficará muito mais simples do que você imagina.

Para te ajudar, segue abaixo o link para download de uma planilha para orçamento pessoal desenvolvida pela B3.

Faça o download aqui.

E, não se esqueça. Todo excesso, pesa. Inclusive no seu bolso.