Normalmente, ao precisar de dinheiro, uma pessoa faz um empréstimo com alguma instituição financeira, submetendo-se a juros altíssimos. Mas, o que muitos não sabem, é que essa lógica pode ser invertida. Qualquer pessoa que tenha algum dinheiro para investir pode emprestá-lo à um banco ou financeira e, ainda, cobrar juros.

Esse “empréstimo” só é possível graças ao CDB (Certificado de Depósitos Bancário), maneira do banco captar dinheiro com os investidores e depois emprestá-lo a outras pessoas.

As LCs (Letras de Câmbio) têm o mesmo conceito, mas neste caso, o dinheiro é investido em uma financeira, que também irá emprestar o montante à uma outra pessoa por meio de uma linha de crédito.

Ou seja, os investimentos em CDBs e LCs só podem ser emitidos por instituições financeiras, desde os bancos mais famosos até financeiras de pequeno e médio porte.

Qual é o rendimento dos títulos?
Tem uma pergunta que é sempre feita pelos investidores: quanto irei receber dos meus investimentos?

Primeiro é necessário entender que há três opções de rendimento, assim como no Tesouro Direto:

• Pós-fixado
• Prefixado
• Inflação + Taxa Prefixada

Confira abaixo cada um:

Pós-fixado:
Neste tipo de rendimento, a remuneração do título irá depender da variação do indexador – índice de reajuste. Normalmente, CDBs e LCs são atrelados ao IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) ou ao CDI.

O que é CDI?
• Todos dias os bancos emprestam recursos entre si e utilizam a taxa DI para cobrar juros
• Ambas são correlacionadas e seguem a taxa Selic
• A taxa DI se tornou um indicador de mercado para correção das aplicações e foi nomeada de CDI

Ao investir em um título com essa remuneração, o investidor receberá um percentual do CDI, que, geralmente, varia entre 90% e 120%.

Por exemplo, se você investir em um CDB a 115% do CDI e durante esse período o CDI variar 11%, o rendimento do seu título será, aproximadamente, de 12,65%.

Prefixado
Aqui, o rendimento do CDB ou LC terá uma taxa fixa, acordada na hora da compra. Por exemplo, imagine que você pegue uma certa quantia emprestada com uma pessoa. Para isso, ela pede que você devolva os recursos após um ano com juros de 10%.
O que acabou de acontecer foi uma aplicação prefixada.

Inflação + taxa prefixada
Com essa opção, a remuneração do título será parte pós-fixada, parte prefixada. Assim como no Tesouro IPCA, não há como saber quanto será o rendimento de seu título, pois ele irá depender da variação da inflação no período. Mas, ele traz a certeza de que o investidor irá preservar o poder de compra.

Risco:
Todo e qualquer CDB ou LC emitidos, independente do porte do banco ou financeira emissor, contam com a proteção do FGC (Fundo Garantidor de Crédito). Portanto, apesar do risco estar atrelado diretamente ao banco ou financeira, caso a instituição quebre, existe a cobertura do FGC até R$ 250 mil por CPF e por instituição financeira.

Quanto custa investir em CDB ou LC?
Na Easynvest, para investir em CDBs, LCs ou qualquer outro investimento de renda fixa, não há nenhuma taxa.

Já no caso do Imposto de Renda, a cobrança será feita sobre o rendimento de acordo com a data que aplicou. Por exemplo:

Aplicações de 0 a 180 dias terão 22,5% de IR
181 a 360 dias 20% de IR
361 a 720 dias 17,5% de IR
Acima de 721 dias 15% de IR

Para resgates com menos de 30 dias em CDBs ou LCs com liquidez diária, há a cobrança de IOF (Imposto de Operações Financeiras).