Em poucas palavras, uma ação é a menor fração de uma empresa. Imagine um prédio de 30 andares. Esse prédio foi construído com milhares de tijolos. Ao possuir uma ação, você possui um tijolo. Ao possuir um número maior, pode chegar a ter um andar e assim por diante.

Assim, ao comprar uma ação você adquire uma fatia da empresa, tornando-se sócio dela. Os direitos e deveres como sócio dependerão da quantidade de ações que você adquirir em sua carteira.

Tipos de ações
Resumidamente, existem dois tipos de ações: ordinárias e preferenciais. Vamos explicar cada uma delas:

  • Ação ordinária tem esse nome porque deriva de ordem, ou seja, quem tem essa ação tem direito a voto nas assembleias da empresa. As ações ordinárias têm sempre o número 3 no final do código de negociação, exemplo: Petrobras (PETR3), Vale (VALE3), etc.
  • Já ação preferencial vem do termo preferência. Ou seja, o portador dessa ação tem prioridade no recebimento de dividendos e outras formas de distribuição de lucros. As ações preferenciais têm os algarismos 4, 5 e 6 no final. Exemplo: Petrobras (PETR4), Vale (VALE5), Eletrobras (ELET6).

Tipos de operações com ações

  • Operação normal é a operação em que o investidor compra um lote de ações hoje e vende em outro pregão – podendo ser amanhã, semana que vem ou no mês que vem, por exemplo.
  • Day trade é quando o investidor compra e vende a mesma ação dentro do mesmo dia.

Como lucrar com ações
As ações podem gerar lucros para o investidor de diversas formas. A mais comum é por meio da aquisição. Ou seja, compra-se uma ação hoje e vende-se a ação mais tarde por um preço mais caro. É a maneira mais simples de todas.

Também é possível lucrar com a distribuição de proventos, estas são as principais modalidades:

  • Dividendos: distribuição de lucros para os acionistas. É pago em dinheiro e tem isenção de Imposto de Renda.
  • Juros sobre capital próprio: outra forma de distribuição de lucros. A grande diferença, é que ele é tratado como despesa no balanço da empresa e há Imposto de Renda de 15% retido na fonte.
  • Bonificação: quando a empresa faz um aumento de capital, ela bonifica os acionistas com novas ações, assim, cada acionista permanece com o mesmo percentual de participação na empresa que tinha anteriormente, mas com novas ações.

Uma outra forma de lucrar é com o aluguel. Caso o investidor tenha ações e não pensa em se desfazer desses papéis, ele pode colocá-los para alugar (no mesmo princípio de quem aluga um imóvel) e além dos proventos recebidos, gera outra possibilidade de fonte, o pagamento de juros pelo empréstimo das ações.

E quem toma a ação para alugar, também tem possibilidade de ganhos. Nesse caso, o investidor aluga e vende essas ações, contando com a desvalorização delas. Para lucrar o preço do papel precisa se desvalorizar, assim ele recompra a um preço menor e devolve as ações para quem alugou, lucrando com a diferença.

Quanto custa investir em ações
Os custos variam de corretora para corretora. Aqui na Easynvest, os custos envolvidos para operações com ações são:

  • R$ 10,00 de corretagem por ordem (compra e venda) executada
  • 0,0325% de taxas de liquidação e emolumentos em operações normais (Taxas geradas pela B3 e repassadas pela corretora)
  • 0,025%% de taxas de liquidação e emolumentos em operações Day trade (Taxas geradas pela B3 e repassadas pela corretora)

Em nosso site disponibilizamos uma maneira de simular o custo operacional, basta acessar o link: https://www.easynvest.com.br/precos-investimentos

Quer saber mais sobre Renda Variável? Então veja os nossos outros posts da série.