ETF é a sigla em inglês para Exchange Traded Fund. De forma bem direta, são fundos de índices compostos por ações de diversas empresas, negociados em bolsa de valores. Mas você sabe o que são índices de ações?

Entenda os índices de ações
Um índice é composto por ações de diversas empresas e refletem o desempenho do mercado em geral ou de um setor especifico.

O Índice Bovespa, por exemplo, é uma carteira teórica composta pelas ações mais negociadas no mercado brasileiro e serve como termômetro de mercado. Quando o índice se valoriza, significa que o mercado se aqueceu naquele dia. Já quando o índice tem uma desvalorização, o mercado não foi muito bem.

Existem índices setoriais ou de segmento, que medem o comportamento de um mercado específico. Um exemplo de índice de segmento é o IDIV (Índice Dividendos BM&F Bovespa), que concentra ações de empresas com bom histórico de pagamento de dividendos.

Já um exemplo de índice setorial é o IMOB (Índice Imobiliário) que reflete uma carteira com as ações mais negociadas do setor imobiliário.

Como funciona um ETF
Caso um investidor queira investir nas empresas do Índice Bovespa, por exemplo, ele pode entrar no site da bolsa, verificar a composição da carteira e adquirir individualmente os mais de 60 papéis que fazem parte do índice. Porém, essa operação dá trabalho – e sai caro.

Os ETFs surgiram justamente para trazer essa facilidade no mercado. Uma gestora adquire as ações que fazem parte do índice e negocia cotas do fundo, assim como em fundos de investimento. Deste modo, caso um investidor queira aplicar em todas as ações do Ibovespa, basta ele comprar cotas de um ETF composto pelas mesmas empresas do índice.

Portanto, investir em ETF é uma forma fácil e ágil de investir em um índice. Por essa característica, o produto traz as seguintes vantagens ao investidor:

Vantagens do ETF

  • Baixo custo
  • Diversificação natural de carteira
  • Possibilidade de acompanhar um índice de mercado diretamente

Por essas qualidades, as ETF são muito úteis para um primeiro contato com o mercado de renda variável. Ao negociar diferentes ETFs é possível fazer uma diluição e diversificação de risco e ainda investir em diferentes segmentos e setores.

Como lucrar com ETF
Só é possível lucrar com ETF por meio da valorização das cotas, sendo que esta modalidade não distribui dividendos ou juros sobre capital próprio. Eventuais proventos distribuídos por ações que fazem parte da carteira são integrados ao valor da cota.

Tributação sobre ETF
O tratamento tributário de ETF é diferenciado com relação ao de ações:

  • 15% sobre o lucro auferido na operação de compra e venda das ETFs
  • A isenção de imposto de renda em vendas inferiores a R$ 20.000 não se aplica às cotas de ETF. Portanto todo o ganho deve ser declarado.
  • O recolhimento deve ser feito até o último dia útil do mês subsequente ao da apuração.

Se você quer saber mais sobre investimentos em Renda Variável, acompanhe os outros posts!

Caso queira saber mais, assista ao vídeo onde nossos especialistas falam tudo sobre o assunto: