Quando vamos investir temos duas possibilidades: emprestar dinheiro ou ser sócio de uma empresa (ou fundo de investimento). No mercado de Renda Fixa, ao adquirir um título, seja ele público ou privado, empresta-se o dinheiro diante de uma promessa de remuneração futura. Já em um investimento de Renda Variável, o investidor se torna um sócio que possui ações ou cotas para lucrar com a valorização do investimento.

E no que implica essa diferença? Bom, no mercado de Renda Fixa temos a certeza de algum retorno e até certa previsibilidade sobre ele. Já em Renda Variável, não há como prever qual será a remuneração daquele investimento, porém, a possibilidade de valorização é ilimitada. Quer entender como? Então vamos lá.

Renda Variável: conheça os ativos financeiros

Os ativos financeiros que compõem a família de Renda Variável são:

  • Ações
  • Moedas estrangeiras
  • Opções
  • Contratos futuros
  • FII’s (Fundos de Investimento Imobiliários)
  • ETF’s (Exchange Traded Funds) ou Fundos de Índices

Como os ativos são negociados diariamente, diversos fatores, como volume de negociação ou noticiário econômico e político, além da oferta e procura, interferem diretamente nos preços. No caso das ações, o comportamento do preço de um papel é diretamente correlacionado com o resultado da empresa. Se a companhia tem resultados consistentes e gera bons números, a ação tende a valorizar.

O mesmo acontece com o câmbio. Se há mais compra do que venda de Dólares, a moeda norte-americana tende a se valorizar ante o Real, caso contrário, o Real se valoriza frente ao Dólar. Esses dois exemplos servem apenas para ilustrar algumas possibilidades que fazem o preço dos ativos oscilarem e que se aplicam a outros mercados, como ETF’s, fundos de índice negociados em bolsa, e FII’s, os fundos de investimento imobiliário.

Relação risco e retorno
Por que as pessoas investem em uma modalidade que não possui nenhuma garantia de retorno e cujos preços oscilam diariamente? Pelo potencial ilimitado de valorização. Apesar do retorno na Renda Fixa ser garantido, ele é limitado e até previsível de certa forma. Já nas aplicações de renda variável, é possível obter um retorno igual ou maior do que uma aplicação de renda fixa tradicional em menos tempo.

Diversificação de carteira
Muitas pessoas acreditam que investimentos de Renda Fixa e Renda Variável geram conflitos na carteira de um investidor, mas é viável ter ambos. Enquanto uma aplicação de Renda Fixa atende perfeitamente, por exemplo, o propósito de reserva de emergência, uma aplicação em Renda Variável pode servir para acúmulo ou multiplicação de capital. No mundo dos investimentos não existe certo ou errado e, sim, o que melhor se adequa ao perfil do investidor e seu horizonte de investimento.

Nos próximos posts, falaremos mais detalhadamente de cada modalidade de investimento que compõe a família de Renda Variável.